Aleteia

De bruxo a diácono permanente: uma incrível conversão

Compartilhar

O anseio de Henry e sua esposa Bárbara por conceber um filho os motivou a buscar ajuda no lugar equivocado

O Diácono permanente Henry Tovar Mendoza, que serve na Diocese de Guarenas, Venezuela, chegou a este ministério através de um sinuoso caminho de conversão que o tirou da prática da bruxaria e adivinhação e lhe concedeu o milagre que nunca pode obter por meios preternaturais: ter um filho.

De bruxo a Diácono permanente uma chamativa conversão na Venezuela.jpg

Precisamente o anelo de Henry e sua esposa Bárbara por conceber um filho os motivou a buscar ajuda no lugar equivocado: “Bárbara e eu nos refugiamos na bruxaria”, narrou Mendoza, segundo informou ‘Religión en Libertad’. O recurso ao espiritismo levou o homem à converter-se em médium de um espírito que se identificava como “o índio Guaicaipuro” e a sua esposa em médium em uma entidade que se apresentava como a “índia Rosa”.

Apesar de sua casa ter se convertido em um centro de bruxaria na qual se realizavam vários tipos de práticas de adivinhação, o casal nunca conseguiu ter filhos durante nove anos de superstição e ocultismo. Em 1982, um homem convidou ao espírita a realizar um Cursilho da Cristandade. “Fui contra minha vontade já que tinha programado uma viagem à Sorte”, explicou, ao mesmo tempo que comentou que sua esposa assistiu uma semana depois “a contra gosto”. O Cursilho da Cristandade obteve neles um efeito notável: renunciaram as práticas de bruxaria. Na paróquia de Nossa Senhora de Coromoto, ofereceram ao sacerdote trabalhar para Deus.

“Um mês depois de ter saído do cursilho de cristandade, o Senhor Deus nos premiou com a bênção da gravidez de nosso primeiro filho, José de Jesus”, recordou Mendoza. Após trabalhar com os sacerdotes nas paróquias, o Padre Fernando Moreta o motivou a formar-se e em 1990 foi ordenado Diácono permanente. “Me encheu de muito entusiasmo ter casado aos meus filhos, sacramentos que igualmente têm sido conferido aos meus sobrinhos”, afirmou, “além de batizar e dar a primeira comunhão aos meus netos”.

 

 

(via Gaudium Press)

Boletim
Receba Aleteia todo dia