Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Religião

Nas trevas da noite, a batalha entre a morte e a Providência Divina

Aleteia Brasil - publicado em 18/08/16

Uma antiga história que convida à reflexão

Nossa cultura irreverente e cada vez mais cética deixou de lado as histórias piedosas que, de geração em geração, transmitiam mensagens de fé e convidavam à reflexão. Esta é uma das histórias que se contavam décadas atrás, sobre um caso que teria acontecido durante a grande crise econômica mundial da década de 1930, em Chicago, nos Estados Unidos.

Era ainda madrugada quando o Dr. Braun foi despertado pelo seu telefone, que não parava de tocar. Sonolento, ele atendeu e ouviu uma voz suplicante:

– O senhor é o Dr. Braun?

– Sim, sou eu.

– Por favor, venha depressa! É muito urgente, um caso de vida ou morte!

– Onde o senhor mora?

– Alan Street, número 17. Venha logo, por favor!

O Dr. Braun se vestiu depressa, pegou sua bolsa de médico e se dirigiu à rua indicada. Sozinho, guiou seu carro pelas ruas escuras da cidade. A região para onde ia era distante do centro, num bairro em que nem sequer durante o dia os habitantes se sentiam seguros.

A casa ficava num beco um tanto isolado. Estranhando não ver nenhuma luz acesa, o Dr. Braun bateu à porta. Depois de uma pausa, bateu novamente e, de novo, não recebeu resposta. Quando bateu pela terceira vez, alguém perguntou com voz grossa:

– Quem é?

– Sou o Dr. Braun. Recebi uma chamada de emergência.

– Ninguém chamou o senhor. É melhor que o senhor desapareça logo daqui!

Afastando-se, o Dr. Braun pensou ter anotado o número errado. Já de volta em casa, como não chegasse um segundo telefonema, esqueceu-se do acontecimento até que recebeu, algumas semanas mais tarde, uma nova ligação. Desta vez ela veio durante o dia e era do serviço de emergência do hospital. A enfermeira explicava que um certo John Turner, a ponto de morrer por causa de um acidente grave, queria falar urgentemente com o Dr. Braun. E ela acrescentou:

– Dr. Braun, por favor, venha depressa, pois o homem já está para morrer e não quer nos dizer por que insiste tanto em falar com o senhor.

O Dr. Braun prometeu chegar logo, embora tivesse a certeza de não conhecer nenhum John Turner. O próprio moribundo lhe confirmou:

– Dr. Braun, o senhor não me conhece, mas eu devo conversar com o senhor antes de morrer para pedir perdão. O senhor com certeza se lembra de um telefonema durante a noite, algumas semanas atrás.

– Sim, mas…

– Fui eu. Estava sem trabalho. Vendi todas as coisas preciosas da casa e, mesmo assim, não consegui alimentar a minha família. Não conseguia mais suportar os olhares suplicantes dos meus filhos, que estavam passando fome. No meu desespero, resolvi chamar um médico durante a noite. Eu queria matá-lo, roubar o seu dinheiro e vender seus instrumentos.

O Dr. Braun ficou paralisado de terror. Ainda assim, perguntou:

– Mas eu fui até lá. Por que o senhor não me matou?

– Pensei que o senhor chegaria sozinho, mas quando vi aquele jovem grande e forte ao seu lado, fiquei com medo. Perdoe-me, por favor!

– Claro que vou perdoar, murmurou o Dr. Braun, boquiaberto.

O fato é que o médico tinha mesmo ido sozinho. Ou, pelo menos, era isto o que ele pensava.

Foi na saída do hospital que ele ouviu de uma enfermeira um comentário que lançou luz sobre aquele mistério. A enfermeira, que nada sabia da história, lhe disse:

– Como são admiráveis os caminhos de Deus, não é mesmo, doutor? Quantas vezes nossos anjos nos protegem de perigos iminentes, sem que nós sequer estejamos conscientes!

– Por que está dizendo isso, enfermeira?

– Porque os filhos deste homem que acaba de falecer estiveram a ponto de morrer de fome, sozinhos em casa, quando foram encontrados por uma senhora.

– Não entendi a relação.

– A senhora foi até a casa deles porque um jovem grande e forte lhe pediu o favor de entregar lá um pacote. O pacote continha comida e o endereço de uma tia das crianças com quem tinham perdido o contato. E nem a tia, nem a senhora, nem as crianças conheciam nenhum jovem grande e forte. Se não era um anjo, quem mais poderia ser?

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Anjos
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia