Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Começa na Síria uma trégua cheia de interrogações

AP Photo, File

Agências de Notícias - publicado em 12/09/16

Uma trégua negociada por Washington e Moscou entrou em vigor na tarde desta segunda-feira na Síria, apesar de ser recebida com ceticismo a respeito de seu cumprimento ou não.

O acordo estipula um primeiro cessar-fogo de 48 horas a partir das 19H00 local (13H00 de Brasília) desta segunda nas regiões que não estão em mãos de extremistas como os do grupo Estado Islâmico (EI).

O exército sírio anunciou imediatamente a suspensão de suas operações militares até a meia-noite do próximo domingo.

Mesmo assim, a oposição ainda não havia expressado formalmente seu consentimento em relação ao acordo.

“A situação está em geral tranquila em todas as frentes, especialmente nas regiões de Damasco, Aleppo e Idleb, exceto por alguns foguetes lançados do sul logo antes do início da trégua”, disse à AFP Rami Abdel Rahma, diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O acordo entre russos e americanos pode “ser a última oportunidade de salvar” a Síria, declarou o secretário de Estado, John Kerry, algumas horas após o início da trégua.

“Achamos que a única solução realista e possível para o conflito é, no fim das contas, uma solução política”, insistiu Kerry, destacando que ainda é “muito cedo para se tirar conclusões” sobre o sucesso da trégua.

O cessar-fogo tentará mais uma vez por fim ao derramamento de sangue que desde 2011 atinge a Síria, além de permitir conceder ajuda humanitária a milhares de civis.

Segundo o correspondente da AFP, na parte pró-regime em Aleppo o último disparo procedente do setor rebelde foi ouvido às 18H55 (12H55 Brasília). Na parte controlada pela rebelião reinava a calma desde às 17H00 (11H00).

Pouco antes que começasse a trégua, o general russo Sergei Rudskoi afirmou que o cessar-fogo alcançaria todo o país, mas que Moscou continuará atacando “objetivos terroristas”.

Se o cessar-fogo for mantido por uma semana, Rússia e Estados Unidos iniciarão – de forma inédita – ataques conjuntos contra os extremistas do EI, e da Frente Fateh Al Sham, ex-Frente al Nusra, facção síria da Al-Qaeda.

Depois de várias tentativas infrutíferas, principalmente a de fevereiro passado, persistem muitas incertezas sobre a possibilidade de se por fim a uma guerra que já deixou 290.000 mortos e expulsou de seus lares milhões de sírios.

– Reconquista – O presidente sírio Bashar al Assad de certa forma reduziu as esperanças de um rápido cessar dos combates ao declarar nesta segunda que quer recuperar todo o território que ainda não está sob controle de seu regime.

“O Estado sírio está determinado a recuperar todas as regiões que estão nas mãos dos terroristas e a restabelecer a segurança”, declarou Assad à imprensa estatal durante uma visita ao ex-reduto rebelde de Daraya, perto de Damasco.

O regime utiliza a palavra “terrorista” para fazer referência a rebeldes e jihadistas.

“Existem aqueles que têm ilusões e há cinco anos não se livraram das ilusões”, afirmou o presidente sírio, a respeito da oposição, de acordo com declarações divulgadas pela agência oficial Sana.

“Alguns apostavam em promessas do exterior”, disse, em referência aos apoiadores da oposição, como Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Arábia Saudita ou Turquia.

“Estas promessas não se concretizarão”, concluiu.

– Garantias -A oposição síria, por sua vez, pediu garantias sobre a aplicação da trégua.

“Queremos saber quais são as garantias. Esperamos que existam garantias e pedimos garantias especialmente dos Estados Unidos, que é parte envolvida no acordo de trégua”, afirmou à AFP Salem al-Muslet, porta-voz do Alto Comitê de Negociações (ACN) da oposição síria.

O anúncio da trégua na sexta-feira aconteceu após semanas de negociações entre Estados Unidos e Rússia, que apoiam respectivamente a rebelião e o regime, e no momento em que os insurgentes passam por dificuldades militares, depois de uma derrota na última batalha de Aleppo.

“Estamos revisando completamente (o acordo). É realmente importante conhecer os níveis de compromisso de todas as partes no acordo, especialmente os Estados”, disse Muslet.

“Qual é a definição escolhida para “terrorismo” e qual será a resposta em caso de violação?”, questiona.

O influente grupo rebelde islamita sírio Ahrar al-Sham, por sua vez, rejeitou o acordo de trégua entre Estados Unidos e Rússia, alegando que servirá apenas para “reforçar” o governo de Damasco e “aumentar o sofrimento” do povo.

Ahrar al-Sham foi o primeiro grupo rebelde a reagir oficialmente ao acordo firmado esta semana entre russos e americanos, em Genebra. Os demais grupos rebeldes – islamitas e não islamitas – e a oposição política ainda não deram uma resposta oficial.

“O povo (sírio) não pode aceitar soluções pela metade”, afirmou Ali el Omar, subcomandante-geral do grupo, em discurso divulgado no YouTube por ocasião da Aid al-Adha, a Festa do Sacrifício, que se celebra amanhã.

“O acordo russo-americano (…) faz evaporar todos os sacrifícios e avanços do nosso povo em revolta. Apenas contribui para reforçar o governo e encurralar militarmente a revolução”, denunciou.

Ele rejeitou ainda o segundo ponto do acordo, em virtude do qual Washington deveria convencer os rebeldes a se dissociar de um importante aliado extremista – a Frente Fateh al-Sham (ex-Frente Al-Nusra). Este último, afetado pelo acordo apenas de forma indireta, também reagiu no Twitter.

“É simples. O acordo russo-americano trata da eliminação daqueles que protegem os sírios”, indicou Mostafa Mahamed, um de seus porta-vozes, referindo-se ao grupo.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia