Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Atualidade

Dois terços dos idiomas usam sons similares para objetos comuns

White letters isolated on white background © Andrea Crisante / Shutterstock

Agências de Notícias - publicado em 12/09/16

Cerca de dois terços dos 6.000 idiomas falados no mundo usam sons similares para descrever os conceitos e objetos mais comuns, segundo um estudo linguístico internacional publicado na segunda-feira no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

O artigo desafia um dos princípios fundamentais da linguística, segundo o qual a relação entre o som de uma palavra e o seu significado é completamente arbitrário.

“Estes padrões simbólicos de sons aparecem repetidas vezes ao redor do mundo, independentemente da dispersão geográfica dos humanos e da linhagem da língua”, diz Morten Christiansen, professor de psicologia na Universidade Cornell, em Nova York.

“Parece haver algo sobre a condição humana que conduz a estes padrões. Não sabemos o que é, mas sabemos que está lá”, acrescentou Christiansen, diretor do Laboratório de Neurociências Cognitivas de Cornell.

Para o estudo, cientistas analisaram dezenas de palavras do vocabulário básico em 62% dos mais de 6.000 idiomas atuais do mundo, como pronomes, partes do corpo, animais, adjetivos e verbos para descrever movimentos.

Não todas, mas “uma proporção considerável das 100 palavras do vocabulário básico tem uma forte associação com tipos específicos de sons da fala humana”, afirma o estudo.

Por exemplo, na maioria dos idiomas, a palavra para “nariz” tem maior probabilidade de incluir os sons “neh” ou “oo” (como no inglês, “nose”), afirma o estudo.

A palavra para “língua” é “susceptível de ter” a letra ‘l’, e os sons do ‘r’ costumam aparecer nas palavras para “vermelho” (“red, em inglês) e “redondo”.

“Não quer dizer que todas as palavras têm estes sons, mas a relação é mais forte do que esperávamos”, acrescentou Christiansen.

São necessárias, porém, mais pesquisas para entender porque alguns sons estão vinculados a certas palavras.

Os coautores do estudo trabalham na Universidade de Zurique (Suíça), na Universidade de Leiden (Holanda), no Instituto Max Planck para a História da Ciência (Alemanha) e na Universidade de Leipzig (Alemanha).

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia