Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Cenas da vida no lugar mais frio do planeta Terra

© Amos Chapple
Compartilhar

Você consegue imaginar uma temperatura de 71°C abaixo de zero?

Imagine um lugar que, mesmo hoje, ainda parece estar na Era do Gelo – pelo menos no tocante à temperatura.

Nesse lugar, onde imperam a brancura e o silêncio, não dá nem para plantar uma horta, porque o solo está sempre congelado – aliás, tão congelado que os banheiros são construídos fora das casas porque não há como instalar água encanada. Os carros, nesse lugar, precisam de garagem aquecida, porque, sem isso, podem nem ligar mais. Nesse lugar, uma única lojinha vende tudo de que a população precisa.

Esse lugar é o vilarejo russo de Oymyakon, na Sibéria, a mais de 5.000 quilômetros de Moscou: a temperatura por lá chegou ao recorde de -71°C em 2013. Fica perto de Yakutsk, a cidade de médio porte considerada a mais fria da Terra, com 300 mil pessoas encarando temperaturas que despencam para (bem) menos de -5o°C todos os anos, em invernos inimagináveis para os nossos padrões tropicais. Neste inverno de 2018, já foram registrados -67°C na região.

O fotógrafo Amos Chapple, da Nova Zelândia, visitou Oymyakon e fotografou o cotidiano nessa aldeia em que praticamente não há sol.

As imagens, que mostram a incrível capacidade humana de adaptação, são fascinantes:

Fotos: © Amos Chapple

Tags:
russia