Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Autor de ataque com faca em Minnesota era um ‘soldado do EI’

© CHARLY TRIBALLEAU / AFP
A French police officer stands guard by Saint-Etienne-du-Rouvray's city hall following a hostage-taking at a church in Saint-Etienne-du-Rouvray, northern France, on July 26, 2016 that left the priest dead.
A priest was killed on July 26 when men armed with knives seized hostages at a church near the northern French city of Rouen, a police source said. Police said they killed two hostage-takers in the attack in the Normandy town of Saint-Etienne-du-Rouvray, 125 kilometres (77 miles) north of Paris.

/ AFP PHOTO / CHARLY TRIBALLEAU
Compartilhar

O ataque com faca que deixou oito feridos no sábado em um centro comercial de Minnesota (norte dos Estados Unidos) foi lançado por “um soldado do Estado Islâmico (EI)”, anunciou neste domingo a agência Amaq, órgão de propaganda do grupo extremista.

“O autor dos ataques com faca em Minnesota ontem (sábado à noite) era um soldado do Estado Islâmico, que respondeu às convocações para tomar como alvos os cidadãos dos países membros da coalizão dos cruzados”, indicou a Amaq.

Blair Anderson, chefe de polícia da cidade de St. Cloud, em Minnesota, informou que o autor do ataque “fez várias referências a Alá” durante o ataque, e que perguntou a uma vítima se era muçulmana antes de agredi-la.

No entanto, ressaltou que a investigação ainda está em andamento. “Se foi um ataque terrorista ou não, não quero dizer agora, porque não sei”, acrescentou.

O grupo EI, que proclamou em junho de 2014 um califado entre Iraque e Síria, também está ativo em outros países, onde deixou centenas de mortos e feridos e realizou apelos por ataques contra os países da coalizão liderada pelos Estados Unidos, que desde setembro de 2014 bombardeia suas posições.

(AFP)