Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconAtualidade
line break icon

OCDE pede adoção de novas políticas para crise migratória

Agências de Notícias - publicado em 19/09/16

A chegada de migrantes aos países da OCDE aumentou em 2015 pelo segundo ano consecutivo, segundo um relatório publicado nesta segunda-feira, que ressalta a necessidade de novas políticas de integração para frear o crescente sentimento anti-imigrantes de uma parte da população.

Cerca de 4,8 milhões de pessoas imigraram aos países da OCDE em 2015, um aumento de 10% em relação a 2014, afirma este organismo que reúne 34 países desenvolvidos, incluindo Chile, Espanha e México, em seu relatório “Perspectivas da Migração Internacional 2016”.

Entre estas pessoas, 1,65 milhão são solicitantes de asilo, principalmente sírios e afegãos, que fogem da guerra e de outras calamidades, um número recorde.

A Alemanha, a maior economia europeia, se converteu no principal destino dos refugiados, com mais de um milhão de solicitantes de asilo em 2015. Mas, proporcionalmente a sua população, a Suécia recebeu mais solicitações que a Alemanha (1,6%).

No entanto, apesar desta afluência de refugiados sem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial, os países membros da OCDE não realizaram nenhuma mudança importante em suas políticas migratórias, critica o organismo.

A publicação deste relatório coincide com a realização de uma cúpula sobre refugiados e migrantes em Nova York, onde os 193 países membros da ONU se preparam para adotar uma série de compromissos para responder à grave crise migratória antes da Assembleia Geral.

– Soluções globais e locais -Embora esta crise exija respostas rápidas, os países devem adotar políticas migratórias ao mesmo tempo globais e locais que se inscrevam no longo prazo, convocou Stefano Scarpetta, diretor de Emprego, Trabalho e Assuntos Sociais da OCDE.

“Deixar que cada país enfrente sozinho fluxos maciços de migrantes, como foi o caso há pouco tempo com a crise de refugiados, não ajudará a resolver os problemas de forma adequada. Cada país deve dar sua contribuição”, acrescentou Scarpetta.

O relatório destaca a importância de melhorar a integração das comunidades de migrantes, sobretudo através da inserção rápida no mercado de trabalho, ao acesso a cursos de idiomas e ao reconhecimento dos diplomas e qualificações dos migrantes.

“Agora, o grande desafio é a integração”, ressaltou o Secretário-Geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos, Ángel Gurría, durante a apresentação do relatório em Paris.

Gurría citou a Suécia como exemplo de um país que fez grandes progressos na integração rápida dos recém-chegados.

“A Suécia não espera que os migrantes falem sueco com fluência ou que tenham qualificações em engenharia. Coloca os migrantes para trabalhar e depois ensina sueco no local de trabalho”, explicou.

– Evitar fraturas sociais -Nos últimos anos, as pesquisas de opinião mostram que a afluência maciça de migrantes levou a um clima de descontentamento crescente que a direita populista continua aproveitando em Alemanha, França e Áustria, entre outros países.

Nos Estados Unidos, o candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, também fez da imigração um de seus principais temas de campanha, propondo a criação de um muro na fronteira com o México e a deportação de milhares de ilegais.

Em parte, este descontentamento se origina em um sentimento geral de uma perda de controle do fluxo de migrantes e em uma percepção de que a imigração é uma ameaça para o bem-estar econômico e social das populações locais, afirma o documento.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia