Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa implora ‘cessar-fogo imediato’ na Síria

© Antoine Mekary / ALETEIA
Pope Francis leads his weekly general audience in St. Peter's Square in Vatican City, October 12, 2016. © Antoine Mekary / ALETEIA
Compartilhar

Ao menos 25 civis morreram na terça-feira nos bombardeios mais violentos dos últimos dias contra os bairros rebeldes de Aleppo

O papa Francisco implorou nesta quarta-feira um “cessar-fogo imediato na Síria” e pediu que se estenda “ao menos pelo tempo necessário para permitir a evacuação dos civis, especialmente das crianças”, num momento em que Aleppo está sob um intenso ataque aéreo.

“Quero destacar e reiterar minha proximidade com todas as vítimas do desumano conflito vivido na Síria. E, com caráter de urgência, renovo meu apelo, implorando a todas as autoridades, com toda a minha força, um cessar-fogo imediato”, indicou em sua audiência semanal na Praça de São Pedro.

Ao menos 25 civis morreram na terça-feira nos bombardeios mais violentos dos últimos dias contra os bairros rebeldes de Aleppo (leste), enquanto cinco crianças morreram em um ataque rebelde no sul da Síria.

No plano diplomático, a comunidade internacional segue se mostrando incapaz de acordar uma trégua nos bairros rebeldes de Aleppo, onde vivem mais de 250.000 pessoas, cercadas há vários meses.

O exército do regime sírio, apoiado pela Rússia, bombardeia intensamente estes bairros desde 22 de setembro. Centenas de pessoas, em sua maioria civis, perderam a vida.

Em 28 de setembro, o Papa afirmou que os responsáveis por estes bombardeios deverão “prestar contas diante de Deus”.

(AFP)