Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Cultivo de ópio aumenta no Afeganistão em 2016

<p>Vários combatentes talibãs posam, em 23 de janeiro de 2010, na província de Ghazni, no Afeganistão</p>

Agências de Notícias - publicado em 23/10/16

A área dedicada ao cultivo do ópio aumentou 10% no Afeganistão em 2016, país que é o primeiro produtor mundial, após uma excepcional diminuição no ano passado, segundo estimativas da ONU publicadas neste domingo em Cabul.

O aumento das terras cultivadas, de 183.000 para 201.000 hectares, atribuído a “melhores condições climáticas”, implica uma previsão do crescimento na produção de ópio de 43%, a 4.600 toneladas, contra 3.300 toneladas em 2015, segundo um relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, em inglês).

Para a ministra encarregada da luta contra as drogas, Salamat Azimi, “a causa principal deste aumento é a crescente insegurança e a falta de fundos” que tem freado as campanhas de erradicação.

Neste momento, somente 13 das 34 províncias do país estão isentas do ópio, indicou a ministra diante da imprensa.

“É muito perturbador ver como o cultivo da papoula do ópio se estende nas províncias do norte” onde era quase inexistente, destacou o diretor da UNODC em Cabul, Andrey Avetisyan.

Enquanto 93% da papoula – matéria-prima do ópio – é cultivada no sul do país, o funcionário da ONU destacou uma “consoladora” diminuição em certas províncias meridionais: em particular uma queda da produção de “7% em Helmand”, localidade que é a primeira produtora mundial, com 80% da produção total.

Os impostos dos talibãs Helamnd, que faz fronteira com o Paquistão, é uma das províncias mas conflituosas do país, junto com seu vizinho Uruzgan; ela escapa completamente do controle do governo e está submetida a incessantes ofensivas dos talibãs, que operam na região com grande liberdade e recolhem “impostos” dos agricultores que cultivam o ópio, com os quais financiam sua insurreição.

O general Baz Mohammad Ahmad, vice-ministro do Interior encarregado da luta antidroga, recordou que “a maioria das guerras no país são financiadas pelo cultivo do ópio. Onde há ópio no Afeganistão é onde temos combates”, insistiu.

Em 2015, pela primeira vez em seis anos, o cultivo da papoula do ópio diminuiu, com uma queda de quase 20%, enquanto a produção da droga encolheu quase 50%. Essa relativa vitória foi atribuída pela ONU às condições climáticas desfavoráveis.

A ONU comemora neste ano “uma produção menor que há dois anos”, mas os especialistas afirmam que 2014 foi um período excepcional.

O relatório anual das Nações Unidas é apresentado como “a melhor avaliação dos cultivos de ópio”, lembrou Avetysian, que lamentou “a recente diminuição do apoio internacional” na luta contra as drogas.

(AFP)

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia