Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Ele prometeu ficar solteiro pra sempre se não pudesse casar com a mulher que amava

Divulgação/Casa Real da Noruega
Compartilhar

Sonja era filha de um vendedor de tecidos, mas o herdeiro do trono da Noruega acabou se apaixonando por ela

No mundo das famílias reais, há uma regra não-oficial que requer que os monarcas e seus sucessores casem-se com membros de outras casas reais ou nobres. No passado, essa prática era realizada majoritariamente como estratégia diplomática para os interesses nacionais. Fortalecer impérios e fazer alianças era o objetivo, e sentimentos e preferências pessoais não entravam na conta.

Só bem recentemente essa prática começou a ser relativizada – basta pensar em Kate Middleton, a provável futura rainha consorte da Inglaterra, ou em Letizia Ortíz, rainha consorte da Espanha. Hoje já não espanta ninguém que um membro de uma família real se case com um “plebeu” ou uma “plebeia”.

Um dos primeiros casos desse tipo foi o do atual rei da Noruega, Harald V. Quando ele ainda era príncipe, em 1959, ele conheceu em uma festa a filha de um vendedor de tecidos, Sonja Haraldsen. Foi amor à primeira vista, mas o relacionamento entre os dois estava proibido.

Sonja nasceu em 1937, em Oslo, onde cresceu e estudou corte e costura, francês, inglês e história da arte. Era inaceitável que uma plebeia casasse com o futuro rei.

O pai de Harald, o rei Olav V, tentou por anos persuadir o filho a se casar com uma mulher pertencente a alguma casa real. Olav não tinha nada pessoal contra Sonja, mas temia que um casamento com uma plebeia tivesse um impacto negativo para a jovem monarquia norueguesa, que tinha em 1905 se separado da Suécia.

Harald não ouviu o seu pai e continuou comprometido com Sonja. Ele estava determinado a se casar com ela e deixou claro para o seu pai que permaneceria solteiro o resto da vida a não ser que pudesse casar com ela.

O rei Olav esperou nove anos para que Harald mudasse de ideia. Isso nunca aconteceu. Em 29 de agosto de 1968, enfim, o príncipe Harald e Sonja se casaram. A plebeia era agora princesa da Noruega. Em 1991, com a morte de Olav, o casal se tornou o rei Harald V e a rainha Sonja.

O rei Harald e a rainha Sonja atualmente. Foto: Divulgação/Casa Real da Noruega
O rei Harald e a rainha Sonja atualmente. Foto: Divulgação/Casa Real da Noruega

(via Sempre Família)

Tags:
Amor