Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 16 Maio |
Santo Elesbão (ou São Caleb de Axum)
home iconAtualidade
line break icon

Francisco encerra o Jubileu da Misericórdia, a marca de seu pontificado

©MASSIMILIANO MIGLIORATO/CPP

<span class="standardtextnolink">Decembaer 18, 2013: Pope Francis attends the weekly general audience in St. Peter&#039;s Square at the Vatican.</span><br /> <span class="standardtextlabel">Reference:</span> <span class="standardtextnolink">256650</span>

Agências de Notícias - publicado em 18/11/16

O papa Francisco encerra no domingo o Jubileu da Misericórdia, palavra-chave para compreender um pontificado marcado por uma maior abertura da Igreja Católica e um desejo de reconquistar os fiéis que desertaram de suas fileiras.

“Este é o papa da misericórdia”, explica à AFP Andrea Tornielli, vaticanista do La Stampa, que publicou um livro de entrevistas com Francisco sobre este tema. A palavra é “central” para um papa que defende consistentemente “uma abertura para todas as situações pessoais”.

Jorge Bergoglio inspira-se em sua longa experiência de padre confessor na Argentina. “Quem sou eu para julgar?”, disse isto sobre os homossexuais apenas alguns meses após a sua eleição.

O papa, que se confessa regularmente, já afirmou sentir-se “pecador” tanto quanto os prisioneiros que ele encontrou em prisões.

Porque a “misericórdia”, a compaixão pela miséria do outro, engloba para os fieis a ideia do perdão de Deus para os pecados dos homens, através da confissão, mas também, durante os anos de jubileu, cruzando a porta santa num processo de arrependimento.

E, pela primeira vez este ano, as portas santas foram abertas em todo o mundo, nas catedrais, santuários, campos de refugiados, prisões, centros sociais… O papa abriu pessoalmente a primeira na África, em Bangui.

Todas foram fechadas em 13 de novembro, com a exceção daquela da Basílica de São Pedro, geralmente murada, que será domingo.

Este Jubileu, lançado em 8 de dezembro de 2015, foi marcado, como é tradição, por celebrações e reuniões, mas também, de maneira nova, a abordagem do papa de alcançar pessoalmente os feridos da vida muitas vezes rejeitados.

Desta forma, foi ao encontro de migrantes, crianças hospitalizadas, idosos, deficientes, doentes mentais ou vegetativos, ex-dependentes, ex-prostitutas, padres que deixaram a batina e hoje são pais de família…

‘Evangelização'”Sua atitude de diálogo não significa que a Igreja aceita tudo e não guarda os seus valores”, adverte Tornielli. Isto é para o papa um vetor “da evangelização”.

Em sua primeira viagem ao exterior, no Brasil em julho de 2013, o papa jesuíta havia analisado ante os bispos o crescente descontentamento de uma Igreja muitas vezes distante e rígida.

Para ele, os sacerdotes não devem permanecer meros depositários da doutrina imutável.

Desde então, o papa insistiu numa fórmula de choque para expressar essa ideia: a Igreja é como “um hospital de campanha, que tem a característica de nascer onde se luta”.

A misericórdia sempre foi defendida pela Igreja, desde a escolha de Jesus de perdoar a mulher adúltera. João Paulo II a este respeito criou uma festa da misericórdia.

Mas nas últimas décadas, “os bispos focaram mais nos valores não negociáveis da Igreja, principalmente questões relacionadas com a sexualidade”, ressalta o vaticanista Iacopo Scaramuzzi.

Segundo ele, este papa “reformador” apresenta a Igreja “de uma forma diferente dos dois pontificados anteriores”.

“É um educador jesuíta, que repete suas ideias”, revelando através de novas imagens o “exercício espiritual” do pregador de rua que foi por muito tempo em Buenos Aires, decifra Iacopo Scaramuzzi.

Mas as palavras que profere em abundância sobre a fraternidade e a justiça social trazem, em última análise, as ovelhas perdidas nas igrejas? Segundo um especialista, Francisco seria realmente “mais admirado do que seguido”.

O Vaticano assegura, por sua vez, que um bilhão de fieis cruzaram uma porta santa no mundo durante o Jubileu, embora admitindo que seria impossível realmente contar.

(Com AFP)
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
2
Philip Kosloski
5 revelações surpreendentes do “terceiro segredo” de ...
3
Nossa Senhora de Fátima pede rezar o terço
Padre Reginaldo Manzotti
As 3 principais atitudes que Nossa Senhora de Fátima nos pediu
4
Soutane de Jean Paul II/attentat
Marzena Wilkanowicz-Devoud
Onde está a batina manchada de sangue de João Paulo II?
5
Nossa Senhora de Akita
Reportagem local
O grave alerta de Nossa Senhora de Akita sobre o maligno infiltra...
6
Irmã Lúcia, de Fátima, e o Papa São João Paulo II
Francisco Vêneto
O terço “funciona”, garante a Irmã Lúcia, de Fátima: ...
7
FATIMA
Reportagem local
Uma carta da Irmã Lúcia, vidente de Fátima, sobre a grandiosidade...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia