Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 24 Junho |
São Rumoldo
home iconAtualidade
line break icon

Emissário da ONU para Síria expressa “indignação internacional” com bombardeios em Aleppo

<p>Prédio destruído por ataque áreo do governo sírio, em Aleppo.</p>

Agências de Notícias - publicado em 20/11/16

O enviado especial da ONU para a Síria advertiu neste domingo que o “tempo está acabando” em Aleppo e expressou a “indignação internacional” com os bombardeios do regime sírio contra as zonas da cidade controladas pelos rebeldes.

Staffan de Mistura, que desembarcou neste domingo em Damasco para pedir o fim dos ataques contra civis, se reuniu com o sírio das Relações Exteriores, Walid Muallem.

“O tempo está acabando e estamos correndo contra o tempo”, advertiu De Mistura após o encontro com Muallem.

“Até o Natal, com a intensificação das operações militares, veremos um virtual colapso do que resta na zona leste de Aleppo. Podemos ter 200.000 pessoas fugindo para a Turquia, o que seria uma catástrofe humanitária”, disse.

O enviado da ONU expressou a “indignação internacional” com os bombardeios do regime de Bashar al-Assad contra o leste de Aleppo, sob controle dos rebeldes.

De Mistura também confirmou que o regime sírio rejeitou uma proposta para que os rebeldes administrem de forma autônoma a zona leste de Aleppo.

Muallem rejeitou a ideia do emissário da ONU de uma “administração autônoma” dos rebeldes na cidade.

“Afirmamos que rejeitamos completamente”, destacou, antes de questionar “como é possível que a ONU pretenda recompensar terroristas”, termo utilizado pro Damasco para designar rebeldes e jihadistas.

Em uma entrevista no início da semana ao jornal britânico The Guardian, Mistura sugeriu que o governo sírio reconhecesse a administração estabelecida de fato pelos rebeldes nos bairros do leste de Aleppo, não controlados pelo regime desde 2012.

Em contrapartida, centenas de jihadistas do grupo Fateh al-Sham (ex-braço sírio da Al-Qaeda) deveriam deixar a zona onde vivem mais de 250.000 civis, sitiados há quatro meses, e submetidos a intensos bombardeios por parte do regime.

“Nós afirmamos que concordamos sobre a necessidade de que os terroristas saiam do leste de Aleppo (…) ,as que não é possível que 275.000 de nossos cidadãos continuem sendo reféns de 5.000, 6.000, 7.000 homens armados”, explicou Mualem.

“Nenhum governo no mundo aceitaria isto. As instituições do Estado devem retornar ao leste de Aleppo”, completou.

– Combates violentos -Os ataques contra a cidade, retomados na terça-feira, mataram 107 pessoas desde então, de acordo com a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), e obrigaram escolas e hospitais a fechar suas portas.

Dez pessoas, incluindo oito crianças, morreram neste domingo em disparos rebeldes contra uma escola do ensino fundamental na zona oeste de Aleppo, informou a imprensa estatal.

As ruas da parte leste da cidade estavam desertas e apenas ambulâncias e equipes de emergência circulavam, em meio à destruição provocada pela guerra.

As poucas estruturas com capacidade de oferecer atendimento médico foram atingidas pelos bombardeios mais recentes. A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) denunciou o sábado com um “dia negro para o leste de Aleppo”.

Os médicos foram obrigados a retirar os pacientes do último hospital pediátrico da cidade e levaram os recém-nascidos para locais mais seguros.

Entre os civis mortos na madrugada de domingo estão um casal e seus quatro filhos, vítimas de um barril de explosivos, segundo o OSDH.

A violência dos bombardeios obrigou os colégios do leste de Aleppo a suspender as aulas no sábado e domingo para preservar “a segurança dos alunos e professores”.

O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault, criticou a “estratégia de guerra total” da Rússia e do regime sírio, ao mesmo tempo que pediu uma ação internacional para “deter a matança”.

Em Bruxelas, o comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, denunciou as “violações inaceitáveis do direito humanitário internacional, que podem representar crimes de guerra”.

A Rússia, que atua na Síria há um ano em apoio ao regime, não participa nos bombardeios desta semana contra o leste de Aleppo e concentra seus ataques aéreos na província de Idleb, controlada por uma aliança de rebeldes e jihadistas.

Moscou e Damasco esperam retomar na totalidade a cidade de Aleppo antes da posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, no dia 20 de janeiro.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
CARLO ACUTIS
Francisco Vêneto
Corpo incorrupto: quais foram os tratamentos aplicados ao rosto d...
4
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
5
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
6
lenda São Cipriano Santa Justina
Aleteia Brasil
São Cipriano era mesmo bruxo?
7
COMMUNION
Philip Kosloski
Antes da Comunhão, reze este ato de fé na presença real de Cristo
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia