Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

“Txichochi Conetzintle”, um belo cântico na língua asteca para Nossa Senhora de Guadalupe

Compartilhar

Motete do século XVII no idioma náuatle foi cantado na Basílica de São Pedro, em celebração eucarística presidida pelo Papa Francisco

Txichochi Conetzintle” é um motete do século XVII, composto por Gaspar Fernández no idioma náuatle e cantado na celebração eucarística presidida pelo Papa Francisco na Basílica de São Pedro neste dia 12 de dezembro, festa de Nossa Senhora de Guadalupe.

O náuatle é a língua dos povos astecas, que dominavam as áreas centrais do território mexicano até o século XVI. Era a língua de São Juan Diego, a quem Nossa Senhora de Guadalupe apareceu em 12 de dezembro de 1531.

Motete, ou moteto, é uma composição polifônica nascida no século XIII para ser cantada nas igrejas, com temas comumente bíblicos. Manteve-se até o século XVII como uma das formas mais importantes da música polifônica.

Esta é a tradução do cântico:

Dorme, dorme
Dorme, dorme
Dorme, ó meu Menino
Dorme, ó meu Menino
Os anjos vieram te chamar ao mundo
Os anjos vieram te chamar ao mundo
Os anjos vieram te chamar ao mundo.