Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O país cujo norte é dos santos e o sul, de Maria

Luis Miguel Bugallo Sánchez (Lmbuga)
Compartilhar

47% das paróquias andaluzas têm como padroeira a Mãe de Deus; no norte, os apóstolos Pedro e Tiago assumem a liderança

A Galícia é uma comunidade autônoma espanhola com mais paróquias onde o padroeiro é algum santo apóstolo. O surpreendente é que, ao contrário do que se poderia esperar, não é Tiago (ou Santiago) o maior padroeiro, mas Pedro.

Na verdade, um terço de todas as igrejas em toda a Espanha tem o nome de São Pedro. Em números, isso significa que mil e quinhentas igrejas levam o nome do primeiro Papa; que aproximadamente metade leva o nome de São Tiago e que a metade desta metade leva o nome de São João Evangelista. Estes são os três apóstolos que têm o maior número de templos com seus nomes.

A estatística não surpreende tanto, quando se vê de perto. De acordo com o texto publicado por Luis Cano na ABC da Espanha, no norte do país o número de paróquias é muito maior que no sul, e por isso é natural que o número de templos e distintas devoções também aumentem. Nas quatro províncias de Galícia, Astúrias e Burgos, pode-se ter mais de 900 paróquias por município. Em Leon, o número é de 1.293.

Ao sul, em Andaluzia, a história é diferente. Quase metade de todas as igrejas tem como padroeira a Mãe de Deus. Granada, por exemplo, é a província com o maior percentual de igrejas dedicadas à Virgem (52%), sendo a Anunciação o mistério mais frequente, ligeiramente superado por Cuenca, onde o mistério da Assunção (que, por sua vez, é mais comum em toda a Espanha) é mais frequente.