Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Músicas para sempre

© Ollyy/SHUTTERSTOCK
Compartilhar

Projeto cria músicas para quem tem doença de Alzheimer

Hélio Elpídio de Queiroz foi diagnosticado com a doença de Alzheimer há 3 anos e se tornou o primeiro personagem do projeto #MúsicasParaSempre. Ele teve a sua história de vida eternizada em uma música – um presente das filhas Camila e Mariana.

A ideia do projeto é engajar famílias e músicos no sentindo de transformar em canções os momentos marcantes da vida de quem tem Alzheimer.  A doença é caracterizada pela perda das funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem) causada pela morte de células do cérebro.

O projeto surgiu depois que os organizadores conheceram uma pesquisa do Instituto de Neurociência da Alemanha, que  descobriu que as memórias musicais são armazenadas em uma parte do cérebro diferente da que armazena o resto das memórias. Com a campanha, os organizadores querem ajudar preservar a memória afetiva dos portadores de Alzheimer por um pouco mais de tempo.

Através do site construído para a campanha, qualquer pessoa pode escrever contando a história de um parente ou amigo que tenha Alzheimer. E qualquer músico ou compositor pode aderir ao projeto, presenteando seu talento para transformar essas histórias em canções.

Para o Dr. Renato Anghinah, PhD em neurologia, a música pode ajudar o paciente nas fases iniciais da doença de Alzheimer. “Se você fizer uma música especificamente para vida da pessoa, ela vai ver como se fosse um roteiro de vida, ela vai lembrar de coisas que, eventualmente, estaria esquecendo”, explica o médico.

O maestro brasileiro João Carlos Martins, considerado um dos maiores pianistas do mundo e um dos melhores intérpretes de Bach, sabe bem o poder da música. Ele já foi impedido de tocar e reger por força de acidentes que o fizeram perder temporariamente os movimentos das mãos e por causa de uma doença que causa contratura. Passou por várias cirurgias e tratamentos e voltou a fazer o que mais gosta – e sabe. “A música que entra na sua memória, é como um quadro colocado na parede: fica na sua memória e nunca mais sai. Ela mexe dentro de você de um jeito inexplicável. Por isso a frase da minha vida é: a música venceu”, comemora o maestro.

Veja abaixo o vídeo emocionante da história do Sr. Hélio e também da divulgação do projeto.