Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 29 Novembro |
São Saturnino de Cartago 
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Quando Carrie Fisher foi uma freira

Greg Kandra - publicado em 28/12/16

A atriz que interpretou a princesa Leia Organa em “Star Wars” defendia a liberdade religiosa

Enquanto o mundo chora a perda da atriz que criou um dos personagens mais icônicos de sua geração, alguns se lembram de outro momento em sua carreira: quando a jovem Carrie Fisher interpretou o papel de uma freira na Broadway.

A peça, de John Pielmeier, era “Agnes of God“, e falava sobre o mistério da trindade. Fisher interpretou o papel da jovem freira enclausurada que deu à luz inexplicavelmente . A personagem havia sido criada para Amanda Plummer (em um interessante  coincidência, já que Fisher e Plummer eram ambas filhas de Hollywood).

Vale a pena notar, porém, que ela também interpretou outras freiras em alguns filmes, especialmente  em “O Império do Besteirol Contra-Ataca” e “As Panteras Detonando”.

E, para completar, sua mãe, Debbie Reynolds, também fez o famoso papel da freira cantora em “Dominique” no início dos anos 1960.

As inclinações religiosas de Fisher nunca vieram a público. Mas o Religion News Service escreve:

“Lembre-se que ela foi casada por pouco tempo com o cantor e compositor, Paul Simon. Ele fala sobre o relacionamento em “

Hearts and Bones
“:  “um judeu e uma meio judia errantes, livres para vagar onde quer que escolham…”

Fisher era aquela “meio judia errante”.

O pai de Fisher era judeu. Sua mãe não. Teoricamente, de acordo com as correntes reformista e reconstrucionista nos Estados Unidos, Fisher poderia ter sido considerada judia por ter sido criada e educada  no judaísmo.

Na verdade, Fisher foi criada à luz do Protestantismo por sua mãe, mas depois se identificou como judia. Ela e sua filha participaram de jantares de sabá em casas de amigos judeus ortodoxos, e às vezes participavam de eventos em uma sinagoga.

De certo modo, ela falou sobre a religião no ano passado:

A atriz de “Star Wars”, Carrie Fisher, criticou os cinemas do Reino Unido por se recusarem a mostrar um anúncio da Igreja da Inglaterra. A propaganda incluía o Pai Nosso e os cinemas alegaram que isso poderia ofender as pessoas.

O anúncio de 60 segundos deveria ser exibido antes do novo episódio de Star Wars: “O Despertar da Força”. Mas foi recusado pela [agência de publicidade]  Digital Cinema Media (DCM), que representa as principais cadeias Odeon, Cineworld e Vue, apesar de ter sido aprovadao pela Autoridade de Publicidade do Cinema e pela British Board of Film Classification.

Fisher, que retoma seu papel como a Princesa Leia Organa (agora conhecida como General Organa) no novo episódio “O Despertar da Força”, disse ao The Mail on Sunday que não podia entender de que maneira o curta-metragem poderia ofender os espectadores.

“Eu não tenho ideia disso”, disse ela. “Ofendido? Não. As pessoas deveriam cuidar de suas vidas. Não acho ofensivo ter um anúncio sobre o “poder da oração” antes de Star Wars”.

Fisher, de 59 anos, comparou o anúncio com a presença de uma cópia da Bíblia em um quarto de hotel.

“Eu nunca vi um anúncio como este, mas se considerarmos o cinema como um quarto de hotel, então eles têm todo o direito de colocar um anúncio sobre o poder da oração”, disse ela. “É publicidade, por isso quem tem que se opor são os anunciantes.”

Descanse em paz, irmã.

Tags:
CinemaReligiosos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia