Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Sobrevivente de Auschwitz adota neto do seu torturador

Reprodução/Youtube
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

Após 70 anos, ela se encontrou com o neto do líder nazista e foi aí que tudo começou

Eva Mozes Kor, sobrevivente de Auschwitz, decidiu adotar Rainer Hoss, neto do comandante do campo de concentração Rudolf Hoss.

Quando tinha 10 anos, Eva foi deportada pelos nazistas da Romênia a Auschwitz, junto à sua irmã gêmea (La Stampa, 16 de dezembro). Foi libertada em 1945, pelo exército russo, junto a outras 200 crianças que sobreviveram quase por milagre (news.wgcu.org, 18 de novembro).

1

 

O encontro com Rainer

No verão de 2013, informa La Stampa, Eva se encontrou em Auschwitz com uma pessoa que a impressionou pela sua “extrema inteligência”. Era Rainer, neto do desacreditado Rudolf Hoss, condenado à forca pelos aliados em 1946, após a queda do Terceiro Reich.

Reiner rompeu a relação com sua família de origem em 1985, dedicando-se a ensinar às novas gerações como “reconhecer e derrotar o mal do nazismo”.

2

 

Eu gostaria de adotar você

Um ano após esse encontro, Eva perguntou ao neto do seu torturador se permitia que ela o adotasse. Ela já tinha mais de 80 anos. Rainer aceitou. Eva lhe pediu que perdoasse sua família, “porque só assim poderemos realmente nos libertar do mal de Hitler”.

Mulher misericordiosa

Eva é uma mulher misericordiosa que ainda hoje recorda com lucodez os dramáticos momentos vividos em Auschwitz.

Uma vez no campo de extermínio, ela e sua irmã acabaram nas mãos de Joseph Mengele, o médico que fazia experimentos nos prisioneiros, em particular nos gêmeos. As meninas sabiam o que as esperava: se uma morria, a outra seria assassinada.

3

 

Cinco injeções por semana

“Eu recebia até 5 injeções por semana, com todo tipo de infecções e doenças”, contou Eva a alunos de Indiana, lugar onde foi morar após a guerra.

A sobrevivência das irmãs foi um verdadeiro milagre e, em Indiana, Eva decidiu se dedicar ao perdão dos seus torturadores, “para deixar de ser a vítima”.

Candles

Para manter viva a memória do Holocausto, Eva fundou Candles, uma associação que busca crianças que sobreviveram aos experimentos médicos de Auschwitz, e conseguiu reunir 122 sobreviventes do método Mengele.

Em 1995, fundou o Kor Candle Holocaust Museum and Education Center, em Terre Haute, no estado de Indiana.

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições