Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O peculiaríssimo segredo de Roma que expõe três Estados independentes por um buraco de fechadura

Wikimedia Commons - AngMoKio
Compartilhar

O que se descortina por trás do imponente portão do Priorado dos Cavaleiros de Malta?

Existe um buraco de fechadura em certo portão romano pelo qual é possível avistar uma imagem muito peculiar.

O “Buco della Serratura” (“Buraco da Fechadura”) é considerado um dos “segredos de Roma”. Para “desvendá-lo”, é preciso passar pelo “Giardino degli Aranci” (“Jardim das Laranjeiras”) e pelas igrejas de Santa Sabina e Santo Alessio até chegar ao topo da colina em que se encontra a “Piazza dei Cavalieri di Malta” (Praça dos Cavaleiros de Malta), no bairro do Aventino, perto do Circo Máximo.

Situa-se nesse local a fascinante “Villa del Priorato dei Cavalieri di Malta(“Villa do Priorado dos Cavaleiros de Malta”), que só pode ser visitada poucas vezes ao ano, com agendamento e guia contratado junto a agências ou associações culturais autorizadas.

Mesmo quem não entra na villa tem a chance de “desvendar” este “segredo de Roma”. Basta apelar para o “Buco della Serratura“.

Ao se aproximarem do grande portão de entrada, que permanece fechado, os passantes procuram imediatamente a fechadura. É por lá que o mistério será descortinado.

O que se vê pelo “Buco della Serratura” vai além de uma paisagem belíssima: apesar do ângulo de visão reduzido, o panorama emoldurado pela fechadura abrange territórios de três Estados independentes, ou quase isso: o Estado italiano, o Estado do Vaticano e a Ordem Soberana e Militar de Malta.

A Ordem de Malta é uma entidade internacional independente cuja soberania lhe permite imprimir seus próprios selos e emitir seus próprios passaportes, concedendo nacionalidade maltesa a todos os seus membros, muito embora a sua sede já não se encontre em Malta, e sim, justamente, nesta villa situada dentro de Roma. Trata-se de um “quase-Estado”: a Ordem de Malta não é um “país” propriamente dito, mas uma organização internacional autônoma que mantém relações diplomáticas com 105 Estados, nos quais até possui embaixadas. Por sua soberania juridicamente reconhecida, a ordem tem representação na ONU e é filiada à Cruz Vermelha e a outras organizações internacionais. Atua como organização humanitária internacional, fundando hospitais e centros de reabilitação em diversos países, principalmente na África.

O jardim que se avista no primeiro plano, a partir do buraco da fechadura, é o do Grão-Priorado da Ordem de Malta em Roma. Trata-se de uma propriedade que já foi mosteiro beneditino no século X, passou depois para o controle da quase mítica Ordem dos Templários e, após a extinção desta última em 1312, ficou em posse da Ordem dos Hospitalários de São João de Jerusalém e de Rodes, ou, mais simplesmente, a Ordem de Malta.

Mais atrás do jardim, podem-se ver propriedades romanas, ou seja, situadas em território italiano, e, por fim, ao fundo, a inconfundível e majestosa cúpula da Basílica de São Pedro, já em território vaticano.

O panorama único apresentado por este peculiaríssimo buraco de fechadura é o seguinte:

Fotos via site RomaPraVoce.com

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.