Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Outubro |
Beato Domingos Collins
home iconEstilo de vida
line break icon

Do confessionário ao divã: a Igreja precursora da psicoterapia

Marcos Fernandez Diaz

Vanderlei de Lima - Igor Precinoti - publicado em 21/02/17

Prezado(a) leitor(a), você quer se sentir bem? – Eis os caminhos oferecidos em nome da ciência e da fé

A tecnologia, os meios de comunicação, as redes sociais, o acesso a produtos antes restritos e distantes, estão transformando o indivíduo e a sociedade. As certezas de ontem se tornaram “relativas”, as amizades e relacionamentos, que antes eram sólidos, passaram a ser virtuais e flexíveis.

Essas transformações trazem consigo alguns problemas, como, por exemplo, o de as pessoas se sentirem solitárias em meio a centenas de amizades virtuais e os sorrisos nas fotos compartilhadas frequentemente podem esconder uma infelicidade no interior do indivíduo. Esta triste constatação é evidenciada pelas estatísticas que demonstram um aumento expressivo nos índices de depressão, transtornos de ansiedade entre outros.

Um dos instrumentos que auxilia as pessoas a vencerem suas dificuldades existenciais, seus sofrimentos emocionais e conflitos interpessoais é a psicoterapia. Trata-se de um método de tratamento aplicado por profissionais capacitados, via de regra, psicólogos e psiquiatras, que tem como objetivo restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente por meio de um processo de transformação interior.

Segundo Carl Jung, psiquiatra e psicoterapeuta fundador da psicologia analítica, que viveu no início do século XX, o processo de transformação promovido pela psicoterapia é composto de quatro etapas: a confissão, o esclarecimento, a educação e a transformação. Vejamos cada uma delas.

Na primeira etapa – a confissão – o paciente revela tudo o que até então permanecia oculto, verbalizando sua condição, descrevendo e compartilhando sua dor.

A segunda etapa – o esclarecimento – mostra que ao revelar o que era oculto, o paciente passa a entender melhor os seus sentimentos e a perceber suas emoções. O indivíduo compreende os motivos que o levavam ao sofrimento, reconhecendo suas fraquezas, suas verdades escondidas. Essa compreensão é chamada de insight.

Na terceira etapa – a educação – o paciente, conhecedor de suas fraquezas e compreendendo de forma diferente suas emoções e sentimentos, se prepara para assumir uma nova atitude diante da vida, enfrentando novos riscos.

A quarta etapa – a transformação – se dá quando há mudança efetiva no interior do indivíduo ou mudanças. Ele assume uma postura diferente em relação à vida.

Eis que a psicoterapia é um processo de transformação iniciado com o conhecimento de si mesmo e seu primeiro passo para esse processo é a confissão. Pois segundo Jung o “segredo e contenção são danos, aos quais a natureza reage, finalmente, por meio da doença”.

Dessa forma, pode-se afirmar que o papel de ajudar as pessoas a encontrarem seu equilíbrio emocional e psíquico, que hoje psicólogos e psiquiatras cumprem com maestria através da psicoterapia, foi, a seu modo, por muitos anos, realizado apenas pela Igreja através do sacramento da confissão. Confirmam-se, assim, as palavras de Jung no livro A pratica da psicoterapia “As origens de qualquer tratamento analítico da alma estão no modelo do sacramento da confissão”.

A confissão secular, na psicoterapia, e religiosa, na Igreja Católica, só pode fazer bem – embora em campos distintos – a quem a procura, pois perdoar a si mesmo e aos outros traz benefícios ao ser humano. Isso foi o que evidenciou um estudo realizado por Loren Toussaint, publicado no Journal of health psycology: depois de ouvir 148 adultos jovens concluiu que perdoar faz bem à saúde. Quem perdoa facilmente está menos sujeito ao estresse ou a outros problemas psíquicos do que aqueles que têm dificuldade de perdoar.

Prezado(a) leitor(a), você quer se sentir bem? – Eis os caminhos oferecidos em nome da ciência e da fé.

Vanderlei de Lima é eremita na Diocese de Amparo; Igor Precinoti é médico, pós-graduado em Medicina Intensiva (UTI), especialista em Infectologia e doutorando em Clínica Médica pela USP.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
ConfissãoDepressãoPsicologia
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Brasileira Simone Barreto Silva é vítima de ataque terrorista na catedral de Nice
Reportagem local
Brasileira é vítima no ataque terrorista na c...
Reportagem local
França: atentado na basílica de Notre Dame em...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Pe. Robson de Oliveira
Francisco Vêneto
Defesa desmente Fantástico, da TV Globo, em n...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia