Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 28 Outubro |
Santos Apóstolos Simão e Judas Tadeu 
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Justiça europeia valida proibição do uso do véu em empresas

© DecemberDah / Shutterstock

Agências de Notícias - publicado em 14/03/17 - atualizado em 14/03/17

Para a corte europeia, regulamento não estabelece uma diferença de tratamento entre trabalhadores

A justiça europeia confirmou nesta terça-feira que uma empresa pode proibir os funcionários de utilizar qualquer símbolo religioso, entre eles o véu, ao considerar que “não constitui uma discriminação direta”.

“A proibição de usar um véu islâmico [como] uma norma interna de uma empresa privada (…) não constitui uma discriminação direta por motivos de religião”, anunciou em um comunicado o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE).

Na ausência desta norma, os magistrados do tribunal europeu consideram que um empresário não pode exigir que uma trabalhadora prescinda do véu apenas porque um cliente exige, por não considerar um “requisito profissional”.

O TJUE estabelece assim as regras para o uso de “símbolos políticos, filosóficos ou religiosos” nas empresas com base em dois casos diferentes, um na França e outro na Bélgica, que terminaram nas duas ocasiões com a demissão de uma funcionária pelo uso do véu.

O uso de símbolos religiosos, especialmente islâmicos, se tornou um tema importante na Europa, onde estão no auge os movimentos de extrema-direita e anti-imigração.

– Discriminação indireta? –

Na Bélgica, a jovem Samira Achbita não utilizava o véu quando foi contratada em 2003 como recepcionista do grupo de vigilância e segurança G4S. Alguns anos depois, ela expressou o desejo de portar o véu, apesar da política de neutralidade da empresa.

Em um primeiro momento, a direção da empresa a comunicou verbalmente que não toleraria o uso do véu por sua política de neutralidade, que finalmente decidiu incluir por escrito em seu regulamento interno em 2006. A funcionária entrou na justiça belga contra sua demissão.

Para a corte europeia, este regulamento interno da G4S “não estabelece uma diferença de tratamento” entre trabalhadores, já que impõe uma neutralidade de vestimenta a todos de maneira igual. Mas agora os juízes belgas deverão discernir se este caso pode constituir uma “discriminação indireta”.

Isto aconteceria se a proibição de portar símbolos religiosos, uma “obrigação aparentemente neutra”, provocar uma desvantagem particular às pessoas com uma determinada religião, mas poderia ser “justificada objetivamente” se o empresário busca uma política de neutralidade com meios “adequados e necessários”.

A engenheira Asma Bougnaoui também entrou com uma ação para contestar sua demissão, em seu caso na justiça francesa. A empresa Micropole a dispensou em junho de 2009, depois que um cliente reclamou do fato de a funcionária usar o véu.

Ela se negou a abrir mão do véu, como a empresa solicitou, e terminou demitida.

Agora corresponde à justiça francesa determinar se a empresa já contava com um regulamento interno que impedia o uso da peça, já que o simples desejo de um cliente não pode ser considerado um “requisito profissional”, indica o TJUE.

A fundação do magnata George Soros, Open Society Justice Initiative, afirmou em um comunicado que a decisão judicial é “decepcionante”, porque “fragiliza a garantia de igualdade que está no centro da diretriz antidiscriminação da UE”.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SANDRA SABATTINI
Francisco Vêneto
Primeira noiva em processo de canonização na história foi beatifi...
2
EUCHARIST
Reportagem local
O que fazer se a hóstia cair no chão durante a Missa?
3
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco: “Tenho medo dos diabos educados”
4
Pe. Jonas Magno de Oliveira e sua mãe
Francisco Vêneto
Mãe de padre brasileiro se torna freira na mesma família religios...
5
Transplante de rins
Francisco Vêneto
Transplante de rim de porco em humanos: a Igreja tem alguma objeç...
6
As irmãs biológicas que se tornaram freiras no instituto Iesu Communio
Francisco Vêneto
As cinco irmãs biológicas que se tornaram freiras em apenas 2 ano...
7
BENEDICT XVI
Marzena Wilkanowicz-Devoud
A arte de morrer bem, segundo Bento XVI
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia