Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconHistórias Inspiradoras
line break icon

O governo fotografou o martírio deste padre para humilhá-lo; mas o efeito foi o contrário!

Domínio Público

Aleteia Brasil - publicado em 16/03/17

Em vez de desencorajar, as fotos do fuzilamento do Pe. Miguel Pro, na Guerra Cristera mexicana, deram mais forças aos mártires!

A “Guerra Cristera” foi a heroica reação dos católicos mexicanos, no começo do século XX, à brutal perseguição anticatólica perpetrada pelo governo “revolucionário” e ateu do país. Entre os grandes testemunhos de fé daquela época de martírio, tornou-se especialmente conhecido o do padre jesuíta Miguel Agustín Pro, que foi fuzilado sem julgamento só por causa da sua fé católica.

Além de assassiná-lo, o governo ainda queria garantir que a execução o humilhasse e servisse para desencorajar e assustar os católicos. Mas não esperava que o resultado fosse exatamente o contrário:

Dos mártires daqueles dias, nenhum chamou tanto a atenção do público no México e no resto do mundo como o jesuíta Miguel Agustín Pro. Pro foi morto por um pelotão de fuzilamento em frente das câmeras dos jornais que o governo trouxera para gravar o que esperava ser o constrangedor espetáculo de um padre implorando por misericórdia. Foi uma das primeiras tentativas modernas de usar a mídia para a manipulação da opinião pública com propósitos antirreligiosos. Mas, em vez de vacilar, Pro demonstrou grande dignidade, pedindo apenas a permissão de rezar antes de morrer. Após alguns minutos de prece, levantou-se, ergueu seus braços em forma de cruz – uma tradicional posição de oração mexicana – e, com voz firme, nem desafiante, nem desesperada, entoou, de forma comovente, palavras que desde então se tornaram famosas: ‘Viva Cristo Rey!’. Longe de ser um triunfo da propaganda para o governo, as fotografias da execução de Pro tornaram-se objeto de devoção católica no México e de constrangimento do governo por todo o mundo. Oficiais tentaram suprimir sua circulação, declarando a mera posse de tais fotos um ato de traição, mas não tiveram sucesso” (The Catholic Martyrs of The Twentieth Century, Robert Royal, páginas 17-18).

Algumas dessas fotos:

Public Domain

1 – O pe. Miguel Pro, já preso,  em novembro de 1927, às vésperas do fuzilamento. Os trajes civis se devem à legislação que proibia os padres de usarem batina em público.

2 – Condenado à morte sem julgamento, o pe. Pro se dirige ao local do próprio fuzilamento levando um crucifixo e um rosário.

3 – O último pedido do pe. Pro: ajoelhar-se para rezar. O pelotão de fuzilamento aguarda enquanto ele beija o crucifixo e reza.

4 – Com os braços estendidos em cruz, o pe. Pro eleva a Deus esta prece pelos seus carrascos: “Meu Deus, tem misericórdia deles. Meu Deus, abençoa-os. Senhor, Tu sabes que sou inocente. Com todo o meu coração eu perdoo os meus inimigos”.

5 – Enquanto o pelotão dispara, as últimas palavras do pe. Pro são firmes e arrepiantes: “VIVA CRISTO REI!”. Este se tornou o lema e o brado de todos os cristeros, a ponto de que, em execuções posteriores, o exército passou a decepar a língua dos mártires para que, na hora da morte, não pudessem confessar a Cristo em voz alta.

6 – Atingido, o padre cai ao chão ainda vivo! Um soldado lhe dá o tiro de misericórdia.

7 – Muitos mexicanos fizeram questão de enfrentar o alto risco não apenas de acompanhar o funeral do pe. Pro, mas de também gritar, ao longo do cortejo, “Viva Cristo Rei!”.

Missão cumprida até a morte

Pouco tempo antes da prisão do sacerdote, o engenheiro Jorge Núñez Prida, seu amigo, tinha perguntado a ele o que faria se fosse condenado à morte. O pe. Pro respondeu que faria três coisas:

  • primeiro, se ajoelharia em ato de contrição;
  • segundo, ergueria os braços em forma de cruz na hora de receber os tiros;
  • terceiro, gritaria “Viva Cristo Rei!”.

Ele fez as três coisas.

Tags:
MártiresPadresPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia