Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa Francisco ajuda a financiar a restauração do Santo Sepulcro

AFP PHOTO / GALI TIBBON
Foto tirada em 25 de fevereiro de 2017 na Basílica do Santo Sepulcro na cidade velha de Jerusalém mostra a Edícula depois que membros da Universidade Técnica de Atenas removeram as vigas de aço nas quais o santuário foi sustentado nos últimos 70 anos. (AFP PHOTO / GALI TIBBON)
Compartilhar

A restauração foi um sinal da necessária união dos cristãos em Jerusalém

A Custódia da Terra Santa informou que o Papa Francisco doou 1 milhão de dólares para financiar a restauração do Santo Sepulcro e a Igreja da Natividade. Em Jerusalém será celebrada, neste 22 de Março, uma liturgia ecumênica pela conclusão dos trabalhos de restauração depois de nove meses de intervenções realizadas pela equipe da professora Moropoulou. A Custódia também especificou que um aporte de 500 mil dólares será destinado a trabalhos futuros.

Os esforços para a restauração do Santo Sepulcro têm sido uma oportunidade de relançar relações ecumênicas devido à colaboração conjunta das Igrejas católica, grego-ortodoxa e armênia. Fiéis e peregrinos, a partir de 22 de março, poderão admirar – sem andaimes – um dos lugares mais fascinantes da história cristã.

A inauguração – afirma a Custódia da Terra Santa – não suspenderá o fim das obras. As igrejas estão definindo um acordo para a realização de outras fases de trabalho e, desta forma, continuarem a restauração do lugar sagrado.

O Santo Sepulcro guarda os cenários da morte de Jesus e retomará sua forma depois de séculos. A Edícula do Santo Sepulcro, do século IV – o túmulo de Jesus – está coberta com uma estrutura que foi destruída e reconstruída várias vezes. O que está atualmente no local foi reformado em 1810. Estes trabalhos permitiram acessar a rocha original do túmulo pela primeira vez desde 1555. Os visitantes poderão admirar o local através de um vidro.

A restauração é uma realização ecumênica e de aproximação entre as Igrejas católica, ortodoxa e armênia. O custo total da obra foi de 3,5 milhões de dólares. No entanto, não foram informados sobrecustos ou se foi superado o montante proposto inicialmente.