Aleteia

Visite a terra de Nhá Chica, a “santinha” do sul de Minas Gerais

Reprodução / Facebook
Compartilhar
Comentar

Devoção à beata impulsiona o turismo religioso na cidade de Baependi

A cidade de Baependi fica no sul do estado de Minas Gerais e tem menos de 20 mil habitantes. Conhecida por suas belezas naturais, atrai visitantes interessados no turismo ecológico.

Porém, a cidade é ainda mais famosa no Brasil inteiro por outro motivo:  a devoção à Nhá Chica, a ilustre moradora da cidade, que foi beatificada em 2013.

Francisca de Paula de Jesus, a Nhá Chica, era filha de escrava. Viveu até os oito anos de idade na senzala. Com 10 anos, a mãe morreu e ela teve que cuidar do irmão. Era devota de Nossa Senhora da Conceição.  Negra, pobre e analfabeta, viveu uma vida humilde, dedicada a Deus. Nunca se casou. Muito devota de Nossa Senhora da Conceição, desde muito jovem prestava atendimentos espirituais para as pessoas que a procuravam. Sempre tinha uma oração ou uma palavra de conforto para essas pessoas. Gente de muito longe ia a Baependi somente para se “consultar” com a “santinha” de Minas Gerais, como ficou conhecida. Há relatos inclusive de altos executivos que só tomavam grandes decisões depois de ouvirem os conselhos de Nhá Chica.

A Capela de Nossa Senhora da Conceição

Com o dinheiro de esmolas que as pessoas davam depois dos atendimentos, Nhá Chica construiu uma capela em homenagem à Nossa Senhora da Conceição. A obra levou 30 anos para ficar pronta, passou por várias reformas e, no mesmo local, foi erguido o que hoje é o Santuário Nossa Senhora da Conceição. O local recebe os peregrinos do Brasil inteiro. São devotos que vão render graças pelos pedidos alcançados.

No livro de registros do santuário, estão documentadas mais de 20 mil graças que os fiéis atribuem à intercessão de Nhá Chica. Também no local, estão os restos mortais da beata.

 

Escultura de Nhá Chica em frente ao Santuário. Foto: Reprodução/Facebook

O Milagre

O milagre aceito pelo Vaticano no processo de beatificação de Nhá Chica foi a cura de uma doença muito grave no coração de uma moradora da cidade mineira de Caxambu . Ana Lúcia Meirelles, de 63 anos, descobriu que tinha um defeito congênito no coração quando foi submetida a exames médicos, logo após uma isquemia, em julho de 1995. Na véspera da cirurgia, a professora foi acometida por uma febre muito alta, que a impediu de realizar a operação, que foi marcada para uma nova data. Qual não foi a surpresa do médico ao constatar que já não existia mais o problema? A abertura no coração havia cicatrizado sem necessidade de cirurgia. Os médicos não conseguiram explicar o fenômeno.

O órgão com defeito

Uma das histórias mais conhecidas em Baependi é sobre um órgão que Nhá Chica teria mandado comprar para a Igrejinha. Quando um maestro foi tocar, o instrumento não funcionou. Todos ficaram frustrados. Mas, Nhá Chica teria dito que o órgão não estava estragado e que Nossa Senhora queria que ele tocasse em determinada sexta-feira, às três horas da tarde, hora da agonia do Senhor. Ao chegar a tal sexta-feira, o povo ficou curioso e lotou a Igreja. O maestro, milagrosamente, conseguiu tocar e o instrumento funciona perfeitamente até hoje.

Terço de Nhá Chica guardado como relíquia no Memorial. Foto: Reprodução / Facebook

 

A casa de Nhá Chica

Além de visitar o Santuário, onde há um memorial de Nhá Chica com objetos pessoais, inclusive o terço que ela rezava, os peregrinos também podem visitar a casinha simples onde ela viveu. O local ainda conserva as panelas e o fogão à lenha em que ela cozinhava.

Conforme nomeou o Papa Francisco, a beata Nhá Chica é uma “luminosa discípula do Senhor”, uma “testemunha perspicaz da Misericórdia Divina”. Tais títulos reconhecem a humildade com que ela sempre viveu a sua vida, o valor da verdadeira riqueza espiritual.

Visitar Baependi é um convite irrecusável à humildade, à simplicidade e à fé.

Como chegar

Baependi está localizada de forma equidistante de três importantes capitais brasileiras: Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Fica perto das estâncias hidrominerais de Caxambu e São Lourenço. Veja as distâncias de Baependi a:

Caxambu: 5 km

São Lourenço:  34 km

Aparecida: 148 km

São José dos Campos: 228 km

Rio de Janeiro: 288 km

São Paulo: 355 km

Belo Horizonte : 382 km

Varginha: 115 km

 

Informações:  www.nhachica.org.br

 

 

 

 

Tags:
turismo
Boletim
Receba Aleteia todo dia