Aleteia

Encantadora homenagem de uma jovem a seu pai solteiro

Love that matters | Facebook
Compartilhar
Comentar

“Meu pai se assegurou que minha infância fosse a mais normal possível. Nunca senti que a vida ou Deus tivesse me ferrado”

Poucas mulheres não se lembram da primeira vez que rasparam suas pernas, deixaram de lado a menina e revelaram as pernas lisas e crescentes de uma mulher. Para a maioria de nós, foi uma experiência bastante assustadora, confusa, e ficamos gratas por ter nossas mães lá para nos guiar. Para Tiana Sheehan, no entanto, ainda se destaca para ela o exemplo de seu pai solteiro.

Recentemente, no corredor de suprimentos de barbear em uma mercearia, Tiana ouviu uma mãe e filha discutir o que elas precisavam para raspar a perna da menina. “Eu senti esse pequeno soco no estômago que eu normalmente sinto quando vejo uma mãe e filha fazendo coisas de mãe e filha”, Tiana admitiu em um post no Facebook do Love What Matters. Infelizmente, sua mãe faleceu há 14 anos, deixando o pai de Tiana sozinho para criá-la por conta própria.

A moradora do Kentucky então, com carinho, transformou a experiência de triste em doce, lembrando-se da primeira vez que ela raspou as pernas com a ajuda de seu pai. “Eu não pude deixar de rir”, escreveu ela. “Eu nunca vou esquecer o olhar no rosto do meu pai quando eu disse a ele que eu queria raspar minhas pernas”. Ela se lembra dele brevemente abaixando a cabeça, provavelmente ao perceber que a puberdade estava se aproximando rapidamente, antes de levá-la ao banheiro onde ele pegou uma nova lâmina apenas para ela e apresentou-a para o processo de barbear.

A memória é aquela que Tiana aprecia como uma das muitas em que seu pai corajosamente intensificou-se para assumir um papel que normalmente é das mães. “Os pais solteiros não recebem o crédito que merecem”, disse ela. “Meu pai era tão bom em cumprir ambos os papéis e queria que minha infância fosse tão normal quanto possível… nunca houve um tempo que eu pensei que a vida ou Deus tivesse me ferrado. Meu pai cuidava de tudo: barbear, corações partidos, namoros malucos”.

Em última análise, a homenagem de Tiana é um lembrete de que, embora existam muitas mães solteiras que criam seus filhos sem um parceiro ao seu lado, os pais solteiros merecem reconhecimento, louvor e orações também. “Crescer sem uma mãe é obviamente algo que ninguém jamais quer, mas crescer com você foi o melhor”, escreveu Tiana ao pai.

Compartilhar
Comentar
Temas deste artigo:
filhospaipaispaternidade
Boletim
Receba Aleteia todo dia