Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Oração diante da morte de uma criança

Blanscape/Shutterstock
Compartilhar

"Quando suas mãos se fecham na terra, duas asas se abrem na eternidade”

Dizem que, quando uma criança fecha os olhos neste mundo,

um novo anjo nasce no céu,

que, quando suas mãos se fecham na terra,

duas asas se abrem na eternidade.

 

Dizem que, quando o coração de uma criança deixa de palpitar,

um coração limpo e puro bate junto ao de Deus.

Que, quando dois pés virginais deixam de caminhar,

um grande caminho com flores e plantas

os esperam no mais alto do morro.

 

Dizem que, quando uma criança deixa de viver,

Deus a leva para que viva eternamente.

Porque uma criança é o sorriso da manhã,

da tarde e da noite, é brincadeira e travessura.

Por isso mesmo, porque é esperança,

uma criança nunca deixa de existir.

Vive porque Deus, como criador,

não permite uma obra inacabada,

não quer que algo dele fique injustamente no esquecimento,

deseja que este nosso  mundo

seja enfeitado pela beleza e pela ingenuidade,

pela alegria e pela espontaneidade de uma criança.

 

Quando uma criança fecha os olhos precocemente,

um novo anjo nasce no céu,

duas asas se abrem no alto,

um canto angelical se ouve no firmamento,

um sussurro celestial sustenta a tristeza do momento.

 

Hoje, um anjo existe

em nossa família,

em nosso coração,

em nossa fé,

em nossa esperança.

O nome dele é …..

 

Oração originalmente publicada por Padre Javier Leoz, traduzida e adaptada ao português.