Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 03 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Como saber se um casamento é nulo?

Canção Nova - publicado em 07/04/17

A Igreja aceita a nulidade do casamento, que consiste na declaração de que o casamento nunca existiu

O casamento representa um trabalho diário, poderia dizer um trabalho artesanal. É importante manter viva a consciência de que a outra pessoa constitui uma dádiva de Deus, pela qual devemos sempre dar graças por ela. É necessário comunicar um ao outro um amor sincero e não apenas utilizar palavras amáveis que se utiliza para sermos educados. É Deus que abençoa o matrimônio, mas o casal é responsável por palavras e ações cotidianas para multiplicar o amor e conservar a união.

O casamento, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si o consórcio íntimo de toda a vida, foi elevado por Cristo Nosso Senhor à dignidade de sacramento e tem por propriedades essenciais a unidade e a indissolubilidade, as quais, em razão do sacramento, adquirem particular firmeza no matrimônio cristão, sendo o casamento único (unidade) e celebrado para a vida toda (indissolubilidade). Assim, nenhum homem, nem mesmo a Igreja, pode desfazer um casamento válido.

A Doutrina da Igreja, de fato, comporta a declaração de nulidade do casamento, que consiste na declaração de que ele nunca existiu. Por meio de um processo administrativo, o juízo clérigo declara que a celebração ocorreu com a presença de algum impedimento que invalida a celebração. É importante reforçar que não se desfaz o casamento, mas se declara a invalidade da celebração e, por consequência, a inexistência do sacramento. De tal forma, os impedimentos que permitem a declaração de nulidade são sempre anteriores a celebração. Não há previsão de qualquer fato que ocorra durante o casamento a se justificar a sua dissolução. E sendo assim, como saber se um casamento é nulo?

É nulo o casamento celebrado na existência de um impedimento dirimente que torna a pessoa não apta para contrair validamente o matrimônio. O Código de Direito Canônico, nos cânones 1083 e seguintes, enumera os impedimentos dirimentes em especial. Inicialmente, o homem, antes de dezesseis anos de idade; e a mulher, antes de quatorze anos completos, não podem contrair matrimônio válido. Essa primeira hipótese é bem simples, o casamento celebrado entre um homem menor de dezesseis anos ou uma mulher menor de quatorze anos é inválido, portanto, passível de ser declarado nulo, caso ocorra.

Outros casos de impedimento

Outra hipótese de impedimento é a impotência para realizar o ato conjugal, anterior ao casamento e perpétua, por parte do marido ou da mulher. Para tanto, a impotência deve ser certa, vez que a dúvida da impotência não é suficiente para impedir ou declarar a nulidade do matrimônio. Um ponto importante ocorre em relação a esterilidade, vez que esta, por si só, não proíbe nem anula o matrimônio. Mas, se o cônjuge estéril, sabendo de sua qualidade, não contou ao outro, ocorre o casamento com erro, então passível de nulidade.

A próxima hipótese que o Código de Direito Canônico trata é bem simples e conhecida pela maioria. Pelo caráter da unidade do matrimônio, o casamento é inválido a quem se encontrar ligado pelo vínculo de outro matrimônio, ainda que não consumado. Aqui é importante relembrar também da indissolubilidade do matrimônio, ou seja, mesmo que o casal não mais conviva, ainda estarão impedidos de contrair novo matrimônio. Os impedimentos seguintes são também simples, não podem se casar os que não forem batizados, os que receberam o sacramento da ordem (padres, bispos etc.) e aqueles que se comprometeram com voto público perpétuo de castidade emitido num instituto religioso.

Sabemos que o vínculo do matrimônio se encerra com a morte, permitindo ao cônjuge viúvo contrair novo casamento. Contudo, a fim de prever a infeliz hipótese de homicídio, o Código de Direito Canônico impede o casamento daquele que causou a morte do próprio cônjuge ou do cônjuge da pessoa com quem pretende se casar. Outra triste hipótese é o caso de sequestro da mulher pelo homem, para com ele se casar. Também são impedidos de casar-se os parentes em linha reta em qualquer grau, como mãe e filho, vô e neta, tataravô e tataraneta e assim em diante. Aos colaterais, o casamento é impedido até o quarto grau, ou seja, os tios-avós, os primos-irmãos e os sobrinhos-netos. Ressalta-se que não há necessidade do parentesco consanguíneo, sendo os filhos adotivos e enteados considerados igualmente aos filhos naturais.

O impedimento de pública honestidade torna nulo o casamento no primeiro grau da linha reta entre o homem e os consanguíneos da mulher, e vice-versa, que estavam unidos por casamento inválido ou por concubinato público e notório. Por exemplo, um homem não pode se casar com a filha de uma ex-companheira, mesmo que não haja casamento oficial ou religioso, mas basta o conhecimento público da relação. Por fim, a falha no momento do consentimento pode invalidar o casamento quando um dos cônjuges enganar o outro sobre qualidade ou fato que possa perturbar gravemente a vida conjugal, como no já citado exemplo da esterilidade, em que a pessoa estéril esconde esta característica de seu companheiro.

Vejamos todos os casos de impedimento: idade, impotência, casamento anterior, ausência de batismo, sacramento da ordem, voto de castidade, sequestro, homicídio do cônjuge, parentesco, honestidade pública e erro quanto a pessoa. Nota-se que todos os casos ocorrem antes da celebração, não havendo hipóteses de nulidade de casamento por motivos ocorridos após a validade do matrimônio. Lembremo-nos, o casamento válido é indissolúvel. Nas palavras do Santo Papa João Paulo II: “Não esqueçais que o amor de Deus pelo Seu povo, o amor de Cristo pela Igreja, é eterno e não poderá nunca cessar. Igualmente indissolúvel e irrevogável é o pacto entre um homem e uma mulher, unidos pelo matrimônio cristão”.

(via CN)

Tags:
Casamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia