Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 23 Julho |
Bem-aventurada Joana de Orvieto
home iconAtualidade
line break icon

Alemanha vai investir em vias expressas para bicicletas

Mats Hage Eikemo

Programa Cidades Sustentáveis - publicado em 09/04/17 - atualizado em 09/04/17

Uma proposta que contribui para diminuir o trânsito de carros em rodovias congestionadas, a poluição do ar e o sedentarismo

Este ano ainda o governo federal alemão planeja investir 25 milhões de euros na expansão de vias expressas para bicicletas. As chamadas autobahns para bicicletas devem ser usadas principalmente por aqueles que percorrem longas distâncias pedalando até o local de trabalho ou estudo, um número crescente de pessoas naquele país.

Sem semáforos nem cruzamentos, é possível chegar muito mais rapidamente à universidade ou ao trabalho e, ao mesmo tempo, aliviar o tráfego nas estradas. Ir de uma cidade a outra, ou do subúrbio ao centro de bike é uma proposta que contribui para diminuir o trânsito de carros em rodovias congestionadas, a poluição do ar e o sedentarismo.

Pedalar quase 17 km?

Um estudo do Instituto Federal de Pesquisas em Construção, Urbanismo e Desenvolvimento Espacial (BBSR) apontou recentemente que os alemães percorrem, em média, 16,8 km entre suas casas e o trabalho. É realista o uso de bicicleta para percorrer tais distâncias?

Marcus Peter, da Universidade Técnica de Hamburgo (TUHH), analisou onde faz sentido a construção de vias expressas para bicicletas na região metropolitana da cidade no norte da Alemanha.

“Tal infraestrutura é destinada, principalmente, para pessoas que usam a bicicleta para percorrer uma faixa de entre cinco a dez quilômetros”, explica. “Se o caminho é mais longo, as pessoas tendem a não percorrê-lo de bicicleta.”

Mas, mesmo que o trabalhador tenha que percorrer, em média, mais de dez quilômetros para chegar a seu local de trabalho, Peter diz que o investimento em autobahns para bicicletas traria vantagens significativas. “Vejo um grande potencial para quem tem que percorrer uma faixa de até dez quilômetros, o que pode gerar um alívio do tráfego nas rodovias”, opina.

Vias ciclísticas do Ruhr

O especialista dá razão ao estudo de viabilidade do projeto Radschnelweg Ruhr (via expressa para bicicletas do Ruhr), região no oeste do país. A ideia é que, com seus mais de 100 km, a autobahn para bicicletas acabe com cerca de 52 mil viagens diárias de carros, percorridas por mais de 400 mil km.

Além disso, as bicicletas elétricas, que vêm ganhando espaço no país, poderiam contribuir para que mais cidadãos utilizassem as vias expressas. Com essas bikes, pessoas com menos preparo físico também poderiam percorrer distâncias maiores em um período razoável de tempo transformando-se, assim, em potenciais usuários das autobahns para bicicletas.

Peter vê as vias expressas não somente como opção para os trabalhadores, mas aponta que elas poderiam ser usadas também para outros percursos, como para ir ao supermercado ou ao cinema.

Assim, uma via expressa para bicicletas daria mais flexibilidade às pessoas que querem sair à noite e que têm, geralmente, problemas para voltar para casa devido a ônibus e trens que não operam depois de certa hora.

Pequeno passo na direção certa

Até agora, municípios e estados assumiam os custos sozinhos das vias expressas para bicicletas. Segundo Peter, de uma forma geral, os 25 milhões de euros com os quais o governo federal quer subsidiar a expansão representa “um passo na direção certa”.

A Associação dos Ciclistas da Alemanha (ADFC) também avalia o investimento como um “importante sinal político”. No entanto, o orçamento seria muito pequeno para ser dividido por toda a Alemanha, já que a construção de um quilômetro de via expressa para bicicletas custa entre 500 mil e 2 milhões de euros.

Assim, com o valor de 25 milhões de euros poderiam ser construídos somente de 12 a 50 km, diz a ADFC. Por isso, a entidade pede que o investimento seja multiplicado por dez, para permitir a implantação de cerca de 300 km de vias expressas para bicicletas no país.

Fonte: Deutsche Welle | Via: Cidades Sustentáveis

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Reportagem local
A arrepiante oração escrita pela mulher que está no corredor da m...
4
PRIEST-EUCHARIST-ELEVATION-HOST
Philip Kosloski
O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice?
5
Mãe de Nina Rios, Fernanda Rocha Kanner exclui redes sociais da filha
Reportagem local
Brasil: médica exclui redes sociais da filha e recebe ataques e e...
6
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
7
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia