Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 27 Julho |
São Galactório
home iconAtualidade
line break icon

Diminuição histórica de execuções nos EUA alimenta queda mundial

© Public Domain

Agências de Notícias - publicado em 11/04/17 - atualizado em 11/04/17

O número de penas de morte aplicadas nos Estados Unidos caiu para mínimos históricos em 2016, enquanto as execuções decaem 37% em todo o mundo, revelou nesta terça-feira a ONG Anistia Internacional.

Nos Estados Unidos, as 32 penas de morte impostas em 2016 significaram a cifra mais baixa desde 1973, e as 20 execuções realizadas fizeram este país sair do grupo dos cinco primeiros neste tema pela primeira vez desde 2006, afirmou a Anistia em seu relatório anual sobre a pena capital.

É “um sinal de esperança para os ativistas que durante tanto tempo fizeram campanha para acabar com a pena capital”, disse Salil Shetty, secretária-geral da organização com sede em Londres.

A diminuição nos Estados Unidos “é um claro sinal de que os juízes, os promotores e o júri estão dando as costas para a pena de morte como meio de fazer justiça”, considerou a organização.

No total, a Anistia Internacional registrou 1.302 execuções em todo o mundo em 2016, 37% a menos que em 2015, o ano mais sangrento deste capítulo desde 1989, com 1.634.

Este número exclui a China, onde as estatísticas a respeito são secretas, embora a Anistia acredite que seja o país que mais recorre à pena capital, talvez mais do que o resto do mundo como um todo.

A Anistia teve conhecimento de pelo menos 931 execuções na China entre 2014 e 2016, “somente uma fração do total”.

Os cinco países que mais concretizaram execuções em 2016 foram, nesta ordem, China, Irã (567), Arábia Saudita (154), Iraque (145) e Paquistão (87).

Os métodos usados nas execuções vão desde as decapitações (Arábia Saudita), até enforcamentos (Afeganistão, Bangladesh, Botsuana, Egito, Irã, Iraque, Japão, Malásia, Nigéria, Paquistão, Palestina, Cingapura, Sudão do Sul), passando pelas injeções letais (China, Estados Unidos, Vietnã) e os fuzilamentos (Belarus, China, Indonésia, Coreia do Norte, Palestina, Arábia Saudita, Somália e Taiwan).

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
CONFESSION, PRIEST, WOMAN
Julio De la Vega Hazas
Por que não posso me confessar diretamente com Deus?
7
Anna Gębalska-Berekets
O que falar (e o que não falar) a um ente querido com câncer
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia