Aleteia

Catedral de Petrópolis: religião e História do Brasil

Creative Commons
Compartilhar
Comentar

Catedral de São Pedro Alcântara guarda restos mortais de personalidades importantes do Brasil Império

Não é à toa que Petrópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro, é conhecida como “Cidade Imperial”. Suas origens remontam à época em que o regime político vigente no Brasil era a Monarquia.  Conta a História que, em 1822, D. Pedro I se hospedou no local onde hoje é a cidade. Ele teria ficado encantado com as belezas naturais e adquiriu uma fazenda no lugar. Seu sucessor, D. Pedro II assinou um decreto autorizando o povoamento da região e mandou construir um palácio. Mais tarde, Petrópolis seria transformada na “capital de verão” do Império. Nos meses mais quentes do ano, toda a Corte se mudava para lá.

Estilo neogótico da Catedral de Petrópolis. Foto: Stella Dauer/ Creative Commons

Em frente ao palácio imperial, foi erguida uma pequena igreja. Mas a construção de uma matriz já estava prevista pelo imperador. O prédio atual começou a ser construído em 1884 e só ficou pronto 37 anos depois.

A catedral tem estilo neogótico, inspirado na arquitetura francesa muito em moda na época. Só as portas de entrada pesam mais de duas toneladas. Na fachada , ganham destaque as esculturas dos quatro evangelistas. A torre principal tem 70 metros de altura e abriga um carrilhão de cinco sinos de bronze fundido, que foram trazidos da Alemanha.

Creative Commons

No seu interior, vitrais retratam as imagens de Cristo, da Via-Sacra e da Sagrada Família. Também há referências aos membros da Família Real, que “patrocinou” a obra. Uma escultura de São Pedro de Alcântara, padroeiro de Petrópolis e do Brasil, também chama a atenção dentro da catedral.

O padroeiro do Brasil

Pouca gente sabe, mas o Brasil também tem um padroeiro, além da padroeira, Nossa Senhora Aparecida. Trata-se de São Pedro de Alcântara, que foi escolhido por D. Pedro I para ser o padroeiro da Monarquia Brasileira e por D. Pedro II para ser o padroeiro de Petrópolis.

De acordo com o site oficial da Catedral de Petrópolis, ele “nasceu em 1499 em Alcântara, na Espanha, em berço cristão. Ainda jovem, ingressou na Ordem dos Franciscanos e desempenhou importantes cargos na vida religiosa. Foi pregador notável e escolhido como confessor do Rei D. João III de Portugal. São Pedro de Alcântara foi diretor espiritual de Santa Teresa D´Ávila e operou vários milagres em toda Europa. Era o santo de devoção da Família Real, o que influenciou até na escolha dos nomes de batismo dos imperadores (Pedro de Alcântara). Essa devoção levou D. Pedro I a pedir ao Papa Leão XII que proclamasse São Pedro de Alcântara o padroeiro do Brasil, o que aconteceu no ano de 1826.

Mausoléu Imperial

A catedral de Petrópolis também abriga o Mausoléu Imperial. Em uma capela ao lado do altar estão os restos mortais do imperador D. Pedro II, da imperatriz D. Teresa Cristina, da princesa Isabel e do Conde d´Eu. Sobre as lápides, foram feitas esculturas em tamanho real das personalidades, o que chama a atenção dos visitantes. Uma curiosidade do mausoléu é que, por uma ilusão de ótica, o peito do imperador parece se mexer, intrigando fieis e turistas.

Catedral abriga o Mausoléu Imperial. Foto: Rodrigo Soldon / Creative Commons

 

Turismo

A cidade de Petrópolis é um destino turístico muito visitado e tem excelente estrutura de hotéis e restaurantes. Além da Catedral, os visitantes também podem conhecer vários palácios da época da Monarquia, a casa de verão de Santos Dumont, o Museu Imperial, o trono de Nossa Senhora de Fátima (que fica no alto da cidade), as fábricas de cervejas tradicionais da região e ainda se deliciar em um charmoso passeio de charrete.

Jorge Brazil / creative commons

Serviço:

Catedral de São Pedro de Alcântara

Endereço:  Rua Pedro de Alcântara, 60

Petrópolis, RJ

Telefone: 24 2242 4300

Site: www.catedraldepetropolis.org.br

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia