Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 28 Julho |
São Botvido
home iconEm foco
line break icon

Mais uma forte investida abortista

ALL

Vanderlei de Lima - publicado em 17/04/17

Neste tempo em que a Igreja celebra a festa da vida por excelência, ao comemorar a Ressurreição do Senhor Jesus, promotores da cultura da morte tentam nova investida para tornar “legal” o aborto em nosso País.

Legal entre aspas, pois o aborto provocado é crime, dado que a Constituição Federal garante a todos o direito à vida (artigo 5º caput). E mais que isso: é um pecado gravíssimo a atentar contra o 5º Mandamento da Lei de Deus (cf. Êxodo 20,13) e que por sua tamanha gravidade clama aos céus por vingança (cf. Gênesis 4,10).

É pecado, porque tira uma vida. Esta existe desde a concepção e a maneira mais óbvia de provar que o nascituro é vivo se dá mediante a seguinte observação: o óvulo da mulher e o espermatozoide do homem são células vivas que se unem dando origem a um novo ser vivo da mesma espécie humana. Essas duas células, logo que se fundem (aqui surge uma nova vida), se reorganizam, crescem e continuam a ter todas as propriedades de uma célula viva.

Daí se segue que o bebê está vivo. Ele não é nem morto (se fosse morto o organismo feminino o expeliria pelo aborto espontâneo ou daria sinais de mal-estar e levaria a mulher a buscar ajuda médica) e nem é inanimado/inorgânico (se fosse nunca poderia nascer vivo). Mais: das 45 divisões celulares ocorrentes na vida, 41 se dão no ventre materno. Ora, um ser morto não realizaria divisão celular.

No campo sociopolítico, a implantação do aborto equivale a um ato desumano e próprio de uma cruel ditadura. Sim, em Discurso aosBispos do Regional Nordeste-5, da CNBB, em 28 de outubro de 2010, o Papa Bento XVI afirmou que “seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos, políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até a morte natural (cf. Christifideles laici, 38)”.

Na mesma ocasião, perguntou o Papa: “no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal?” E continuou: “Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitae, 74).”

No Brasil, apesar de contar com dinheiro de instituições internacionais e apoio oficial de alguns partidos políticos já denunciados publicamente por corajosos bispos e sérios sacerdotes, a aprovação do aborto encontra sérios obstáculos na opinião pública. Toda pessoa – incluindo, é óbvio, aquelas presas em presídios de segurança máxima – que não sofra de psicopatia grave, nunca concordaria com esse covarde homicídio.

Ora, o Congresso Nacional, eleito pelo povo, há tempos, não vota com pleno sucesso leis favorecedoras do aborto. Daí, grupos abortistas voltarem-se para o Judiciário, tido como um “atalho fácil” na consecução de seus objetivos. No STF (Supremo Tribunal Federal), 11 ministros não eleitos pelo povo terão nas mãos a chance de – usurpando o poder legislador do Congresso – declarar “legal” o aborto no Brasil.

No entanto, mesmo que o STF aprove o aborto, a vitória abortista não estará completa. Terá de enfrentar médicos e demais agentes de saúde que se recusam a cometer tal homicídio alegando o direito humano básico à objeção de consciência. Então, a luta pró morte continuará em duas principais frentes: a) tentando tirar a religião, de um modo especial, a Igreja Católica e a “Bancada evangélica”, da vida pública e b) batalhando pelo fim do direito à objeção de consciência (cf.Catecismo contra o aborto: porque devo defender a vida humana. São Paulo: Artpress, 2009, p. 61).

Cabe-nos portanto, rezar e denunciar, com firmeza, essas manobras, com a graça de Deus, ainda que para tanto tenhamos de enfrentar perseguições de várias ordens.

Vanderlei de Lima é eremita na Diocese de Amparo

Tags:
AbortoPolíticaVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira reza todos os dias às 3h ...
4
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
5
CONFESSION, PRIEST, WOMAN
Julio De la Vega Hazas
Por que não posso me confessar diretamente com Deus?
6
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
7
Anna Gębalska-Berekets
O que falar (e o que não falar) a um ente querido com câncer
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia