Aleteia

O hábito diário que pode matar lentamente o seu casamento

Compartilhar
Comentar

Eu não posso acreditar que ele tirou uma soneca em vez de limpar a garagem! Ela está sempre no telefone!

Pisquei duas vezes e outro ano escorregou para o passado. Eu não realizei metade das minhas intenções de Ano Novo, então desta vez eu não fiz nenhuma intenção. Bem, eu fiz, apenas diferentes. Eu decidi usar o meu tempo melhor:

Três intenções

Eu não vou perder tempo com pessoas que eu não gosto desde a primeira vez que vejo. Não, eu não vou esperar até que alguém me mostre sua segunda, terceira face. Ou acerto imediatamente, ou não.

Eu não vou gastar tempo com pessoas que estão eternamente insatisfeitas, infelizes, e que somente veem problemas em torno delas. Eu não quero. Às vezes, meu copo também está meio vazio, e não meio cheio, então eu não vou permitir que ninguém envenene a metade restante.

Finalmente, eu não quero estar com pessoas que não respeitam tudo o que têm. Eles sentem que receberam algo para sempre e eles podem destruí-lo porque eles terão tempo para corrigi-lo. Não. Não haverá tempo. Estou pensando aqui sobre pessoas que destroem suas vidas, subestimando seus relacionamentos e não usando cada momento de estar juntos. Tenho visto muitos desses casais. Eles são aparentemente uma família agradável, eles vão para a igreja juntos aos domingos e depois saem para jantar, talvez uma caminhada… Mas eu não quero passar tempo com eles.

Sempre meio vazio

Eu sei, nós não podemos passar pela vida sendo excessivamente afetuosos. Uma boa briga de vez em quando é uma coisa boa, mas, além disso, se todos os dias você desaprova o que seu marido ou esposa faz – você não gostou de ele ter adormecido no sofá ontem, você está irritado com a forma como ela escova os dentes, come e fica pronta para o trabalho e, ao invés de falar, você desaparece em seu próprio mundo, você encontra uma centena de razões pelas quais precisa cozinhar outra coisa, de fazer algo ao invés de ouvir juntos o mundo adormecendo – isso é um sinal de que você tem um problema. Você não gosta da sua vida; você não gosta de si mesmo, você não gosta da pessoa mais próxima de você.

Seu comportamento e os comentários que você faz a outras pessoas são uma crítica constante do que sua outra metade está fazendo. E não estou falando de fofocas básicas, quando os maridos e as esposas se queixam de seus cônjuges. Você repete as palavras que você nunca deveria ter dito, muito menos em público: “Meu marido está sempre reclamando que eu sou uma má motorista, que eu coloco os pratos na máquina de lavar louça da maneira errada”. Você deixa seu filho repetir seus comentários negativos sobre sua esposa: “Mamãe, você está sempre no telefone; mamãe, você nunca compra os lanches certos; mamãe, você não sabe fazer isto como o papai”.

Por quê? Você amou essa pessoa uma vez. Sim, eles mudaram um pouco, mas eles são os únicos que mudaram? Eles cometeram alguns erros, alguns grandes, mas ele ou ela é o único que cometeu?

Acorde

O tempo passa tão depressa; seus filhos logo sairão de casa. Serão apenas vocês dois, rosnando um para o outro, indignados com o vazio entre vocês. Talvez você tente viver junto pelos seus filhos, mas isso não vai ajudá-los, nem te ajudar. Talvez ele se torne um acomodado, não desafiado a voar alto e realizar qualquer coisa maior, porque você cortou suas asas. E, talvez, ela vai deixar você, não necessariamente nos braços de outra. Você continuará vivendo com um sentimento de injustiça, acreditando que você estava certo toda a sua vida. Você encherá seus filhos de ódio por ela. Ou um dia, você se tornará uma viúva ou um viúvo. Você acenderá velas no cemitério todos os dias. Você vai fazer o que quiser, mas certamente sem a sua outra metade.

Acorde antes que seja tarde demais. Veja o que fez você se apaixonar por aquele garoto. Ele nunca foi perfeito, mas ele era único. Lembre-se de como você gostava dele, e apenas fique com ele por um momento.

 

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia