Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Ao menos 21 mortos em naufrágio no Senegal

© Patric Bar / SOS Méditerranée France
SOS Méditerranée vient au secours des réfugiés à bord de l'Aquarius © Patrick Bar / SOS Méditerranée France
Compartilhar

Vinte e uma pessoas, em sua maioria mulheres, morreram na noite de segunda-feira após o naufrágio de um barco de madeira em Bettenty, no centro de Senegal, conforme relatado pelos bombeiros à AFP.

Também na noite passada, um segundo acidente foi registrado na vizinha Gâmbia, no qual oito pescadores morreram após o barco em que estavam adernar.

O acidente no Senegal, que não teve a causa determinada, ocorreu nesta cidade da região de Fatick, afirmou o comandante Oumar Kane, da Associação Nacional de Bombeiros, contatado por telefone.

Battenty fica em uma das partes insulares do delta do Salum, onde é comum o uso da pirágua, um tipo de embarcação de madeira, para circular no manguezal e entre uma ilhota e outra.

Os bombeiros foram alertados às 19h20 (16h20 de Brasília) sobre o naufrágio e rapidamente seguiram para o local do acidente para iniciar as buscas.

“De acordo com nossas informações, havia 72 pessoas na embarcação, 51 das quais conseguiram se salvar”, indicou o comandante dos bombeiros, Kane.

Todos os desaparecidos foram encontrados, com um balanço total de 21 mortos. Por este motivo, segundo Kane, as buscas foram suspensas.

A bordo da pirágua “havia apenas dois homens, o resto eram mulheres. Estavam indo buscar frutos do mar”, acrescentou.

Numerosos meios de comunicação locais noticiaram o naufrágio, com o número de vítimas variando. As diferentes versões concordam sobre a presença das mulheres na pirágua, meio de transporte utilizado com frequência pela população desta região.

(AFP)