Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Um ladrão arrependido se confessa depois de 50 anos

© Fred DE NOYELLE / GODONG
Compartilhar

Um mistério de mais de meio século foi esclarecido graças ao sacramento da Confissão

Nunca é tarde para obter a absolvição dos pecados, como bem demonstra esta história surpreendente, digna da série policial Cold Case. Em dezembro passado, um padre de Biarritz (França) ouviu um senhor em confissão, que disse ter sido o autor de um furto cometido há quase 50 anos. E não era um furto qualquer. O objeto levado era uma cruz de procissão policromada de madeira maciça, que foi “extraída” do Convento dos Jacobinos em Tolosa, no ano de 1967, quando o local passava por uma restauração.

O homem assumiu seu erro e o reparou. Ele nunca tinha se separado da cruz preciosa e a entregou a seu confessor depois de recitar seu ato de contrição. E a absolvição foi concedida.

Embora desconcertado, o padre enviou o estimado objeto ao um companheiro de Montpellier, que, por sua vez, o entregou ao município de Tolosa. O prefeitura da cidade – proprietária do convento conhecido também por abrigar as relíquias de São Tomás de Aquino – iniciou o processo de autenticação da origem da peça através da polícia judiciária regional, esperando, sem dúvida, devolver a cruz ao seu lugar de origem, segundo o que informa a imprensa local.