Aleteia

A Lapa do Bom Jesus é feita de pedra e luz

www.redentoristas.com.br
Compartilhar
Comentar

Conheça a gruta da Bahia que virou um dos mais belos santuários do Brasil

Para um observador desatento, turista ou visitante de fora, o grande penhasco às margens do Rio São Francisco, uma formação imponente, de cor escura, envolvida pela simples vegetação da caatinga nordestina, parece ser apenas um lindo capricho da natureza enfeitando aquelas paragens sertanejas! Mas se chegarmos perto, a pedra fria e inerte, vai nos revelar um dos mais visitados santuários do nordeste brasileiro: o sagrado Santuário do Bom Jesus da Lapa da Bahia.

Reprodução / Facebook Santuário do Bom Jesus da Lapa

O Santuário do Bom Jesus tem história centenária, e suas grutas, hoje lugares sagrados para o povo simples do sertão, foram descobertas por um artesão, um artista, Francisco Mendonça Mar, que após uma decepção com as autoridades em Salvador, embrenhou-se pelas terras áridas e, às margens do “Velho Chico”, encontrou a arquitetura das mãos de Deus – as grutas da Lapa.

Ali, vivendo sozinho, logo se pôs ao serviço da caridade com os mais pobres e doentes, e sua fama de caridade foi espalhando-se pelo sertão baiano.

Alguns anos mais tarde, a pedido do arcebispo da Bahia, que recebeu notícias de seu trabalho com os pobres nas grutas da Lapa, Francisco volta para Salvador, estuda teologia e em 1705 recebe a ordenação e se torna Padre Francisco da Soledade.

Reprodução / Facebook Santuário do Bom Jesus da Lapa

Volta imediatamente para a Lapa, mas não volta sozinho: ele leva consigo a imagem do Senhor Bom Jesus, um Cristo Crucificado, cercado por prateado esplendor. De Bom Jesus será a gruta santuário, e ao seu lado, em outra gruta, será entronizada a imagem da Virgem da Soledade, a Senhora das Dores! As mãos de Deus, assim nos dizem os romeiros da Lapa, foram quem construiu o Santuário do Bom Jesus.

A gruta tem cerca de 50 metros de comprimento, 15 de largura e sete de altura. Ali, diante da imagem do Cristo na Cruz, hoje uma réplica da original que ser perdeu num incêndio em 1903, o romeiro reza, canta, ajoelha, cumpre suas promessas, agradece, pede, chora e suplica.

Muitos trazem na cabeça um chapéu branco, cercado por uma fita verde: marca inconfundível do romeiro da Lapa, que visita este lugar santo o ano todo, especialmente na ocasião da romaria anual por ocasião da festa do dia 06 de agosto.

Reprodução / Facebook Bom Jesus da Lapa

 

Hoje, o Santuário do Bom Jesus da Lapa é coordenado pelos missionários redentoristas da Vice Província da Bahia, e recebe anualmente cerca de dois milhões de visitantes, muitos dos estados do nordeste do Brasil, mas cada ano aumentam visitantes capixabas, mineiros, paranaenses e goianos.

Dados da secretaria do Santuário mostram que romarias de todo o Brasil passam pelas grutas da Lapa. O romeiro visitante encontra ao redor do Santuário toda infraestrutura para facilitar sua peregrinação, como banheiro, atendimento ambulatorial, estacionamento, lanchonetes e lojas de lembrancinhas.

Reprodução / Facebook Santuário do Bom Jesus da Lapa

O melhor tempo para visitar o Santuário é entre os meses de julho e setembro, época das grandes romarias. Para um turismo religioso, as férias de janeiro podem ser boa opção, já que o calor é grande e existem lindos passeios pelas águas do São Francisco.

Conheça melhor o Santuário de Bom Jesus da Lapa www.bomjesusdalapa.org.br

___

Por Pe. Evaldo Cesar de Souza, via A12.com

Compartilhar
Comentar
Temas deste artigo:
Bom Jesus da Lapa
Boletim
Receba Aleteia todo dia