Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Sou o Papa Francisco! Posso entrar para abençoar sua casa?

L’Osservatore Romano
O Papa Francisco visita 12 famílias em Ostia, periferia de Roma
Compartilhar

Já pensou em receber uma visita tão ilustre quanto essa?

O Papa Francisco deu continuidade à inciativa “Sextas-feiras da Misericórdia”, um programa que começou no Jubileu (2015-2016) e tem o objetivo de colocar em prática as obras de misericórdia corporais e espirituais.

“Perdão pelo incômodo. Pelo menos respeitei o silêncio do horário da sesta, né?”, brincou o papa, referindo-se ao aviso escrito nas portas dos apartamentos que ele visitou, que pede silêncio aos moradores e visitantes, a fim de manter a convivência saudável e evitar transtorno entre os condôminos.

O pároco de Stella Maris, uma das seis paróquias de Ostia (perto de Roma) tinha avisado que iria abençoar as casas de um conjunto residencial popular, onde vivem pensionistas e pessoas que não podem pagar aluguel. Estes moradores pedem ajuda à prefeitura, que lhes oferece uma casa, de acordo com o preenchimento de alguns requisitos.

As famílias sabiam que, na sexta-feira à tarde, receberiam a visita do padre, durante a tradicional bênção de Páscoa. Mas tiveram uma grande surpresa: quem tocou a campanhia no lugar do pároco foi ele, o próprio papa Francisco.

Bergoglio sempre comentou com seus amigos e conhecidos que ele nasceu para ser padre. Pois, dessa forma, ele passeou pelo bairro inteiro como “pároco” e se entreteve com 12 famílias. Todas elas receberam um terço de presente do pontífice.

Ostia tem mais de 100.000 habitantes e é uma região da capital que vive o contrates do bem-estar e da marginalidade e pobreza. As paróquias proporcionam às pessoas mais vulneráveis a chance de fazerem parte de uma verdadeira comunidade.