Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 11 Abril |
home iconAtualidade
line break icon

Otan vai integrar coalizão que combate grupo Estado Islâmico

<p>Um atentado suicida dos talibãs matou três soldados da Otan e deixou pelo menos 13 pessoas feridas nesta terça-feira no centro de Cabul</p>

Agências de Notícias - publicado em 24/05/17

Os países da Otan concordaram nesta quarta-feira em integrar a coalizão internacional que combate os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI), indicou à AFP uma fonte diplomática.

A decisão deve ainda ser aprovada oficialmente na quinta-feira pelos líderes da Aliança.

“Os embaixadores da Otan acabam de tomar a decisão”, declarou a fonte, que preferiu não se identificar.

Os Estados Unidos desejavam que a Aliança Atlântica entrasse para a coalização, da qual já fazem parte vários países aliados de maneira individual.

No entanto, países como a Itália e a França se opunham a esta entrada para não desgastar a imagem da Aliança, já prejudicada pelos bombardeios em 2011 na Líbia, que deixaram uma má recordação nos países árabes, segundo a fonte diplomática.

A Otan forneceu até a data um suporte secundário à coalizão por meio de missões de reconhecimento com seus aviões Awacs e o treinamento de oficiais iraquianos.

Esta fonte diplomática explicou que os embaixadores concordaram com “um plano de ação contra o terrorismo”, que inclui “a entrada da Otan na coalizão internacional contra o EI e uma expansão dos voos Awacs”.

“Isso significa que os Awacs não só vão monitorar o céu, como também irão coordenar os voos” sobre a Síria e o Iraque, “mas apenas aqueles que não estiverem ligados a bombardeios”, disse.

Além de um maior envolvimento na luta contra o terrorismo, o presidente americano Donald Trump, que expressou no passado várias críticas à Otan, também quer que os aliados aumentem suas despesas militares, para atingir 2% do PIB.

“A Otan se unir à coalizão anti-EI seria um passo realmente importante a dar”, havia dito mais cedo nesta quarta-feira o chefe da diplomacia americana, Rex Tillerson, a repórteres que acompanham Trump no Air Force One.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, havia dito pela manhã que a Aliança deveria fazer mais na luta contra o terrorismo após o atentado extremista em Manchester (noroeste da Inglaterra), que matou 22 pessoas.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia