Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 18 Setembro |
São José de Cupertino
home iconEstilo de vida
line break icon

O sentido do sofrimento para o cristão

Neil Cornwall | CC

Vanderlei de Lima - Igor Precinoti - publicado em 31/05/17

Por que o ser humano, de fé ou sem fé, sofre? Qual a diferença notada no sofrimento de ambos?

Cada um de nós carrega a sua cruz de cada dia, mas, no campo da saúde, médicos e pacientes parecem ver essa cruz de forma mais direta, especialmente nos casos das moléstias incuráveis.

O paciente, no caso, sabe que vai morrer e o médico sente-se impotente por saber que nada pode fazer para debelar a doença que acomete seu cliente. Isso tudo desperta as perguntas: Por que o ser humano, de fé ou sem fé, sofre? Qual a diferença notada no sofrimento de ambos? Alguém terá tratado desse tema a fim de nos oferecer alguma luz? – É a estes questionamentos que o artigo se volta.

Em consideração à primeira questão, é preciso subir a escala desses seres para entender isso: o mineral não sofre. Pode ser talhado e martelado sem que sinta dor. É totalmente insensível; o vegetal, quando agredido, reage. A planta da qual se corta um ramo, tende a se restaurar; por conseguinte, no plano em que começa a vida, começa a resposta àquilo que pretende destruir o ser; o animal irracional (cão, gato, onça etc.) sofre, gemendo, chorando, urlando…, pois tem a vida sensitiva, por isto sente a dor; o ser humano, que vive no plano intelectivo, sofre mais ainda. Não somente sente dor física ou moral, mas também reflete sobre a sua dor, o que o faz sofrer duplamente.

E – note-se bem – quanto mais alguém é nobre e digno, tanto mais sofre. Assim, quem muito ama, muito sofre. Só não sofre quem tem a saúde mental comprometida. A razão do sofrimento dos mentalmente sadios está em que a pessoa percebe a diferença existente entre o ideal (o que deveria ser) e a realidade. Essa diferença suscita dor em quem tem sensibilidade para os verdadeiros valores.

Mais: o sofrimento funciona, segundo Viktor Frankl, professor de Neurologia e Psiquiatria na Universidade de Viena e pai da Logoterapia, como um lembrete ao homem, seja no plano físico ou moral: no físico, a dor faz o papel de vigilante a nos alertar que algo no corpo – ainda que oculto à primeira vista – não vai bem. É ela quem nos leva a buscar o auxílio médico; no plano moral, são os grandes desafios que nos fazem crescer e amadurecer. Sem os embates da vida, o ser humano pode chegar à grande estatura física, mas ser muito pequeno interiormente. Aliás, os antigos gregos já diziam: páthos-máthos: o sofrimento é escola. Daí, o ser humano de fé ver sentido em sua dor e o sem fé cair no desânimo ou apatia diante dos desafios da vida.

Sim, ao cristão, de um modo especial, recorda São Paulo (Colossensses 1,24): “Completo em minha carne o que falta à paixão de Cristo”. Ora, dar uma moldura nova – pois o sofrimento de Cristo já foi completo – à paixão do Senhor Jesus nos dias de hoje é algo valioso, mas entendido só na fé. Com sua experiência em campos de concentração nazistas, Frankl nota que a prisão (e também, por que não acrescentar, a doença) leva o ser humano a enxergar melhor sua pequenez e a não se desesperar, mas jogar-se confiante nas mãos de Deus. Quem compreende isso, entende os (as) santos(as) que, apesar de seus muitos sofrimentos, souberam ser fiéis até o fim sem esmorecer.

Diante desse quadro, também o médico aprende – caso tenha humildade e saiba ser aberto ao que está além de seus conhecimentos, importantes, mas limitados como o de todos os demais homens e mulheres em qualquer profissão que tenham escolhido – ao se ver ante um problema sem solução. Lê-se, por exemplo, o que segue: “Viktor von Weizsäcker afirmou certa vez que o doente que sofre corajosamente, dá lições ao médico que o trata. Um médico que possua certa finura de sensibilidade, terá diante de um doente incurável ou um moribundo, a sensação de não se poder aproximar dele sem certa vergonha. Enquanto o paciente surge como alguém que enfrenta com firmeza a sua sorte e leva a termo uma autêntica realização no plano espiritual, no plano físico ou na esfera das realizações médicas, deve reconhecer a sua insuficiência” (Pergunte e Responderemos n. 281, julho-agosto 1985, p. 336).

Eis como Medicina e Fé podem olhar para o sofrimento humano, misterioso, mas capaz de levar a profundas reflexões…

Vanderlei de Lima é eremita na Diocese de Amparo; Igor Precinoti é médico, pós-graduado em Medicina Intensiva (UTI), especialista em Infectologia e doutorando em Clínica Médica pela USP.

Tags:
DoençaEsperançamedicinaSofrimento

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
7
tentativa suicídio depoimento
Reportagem local
EM IMAGENS: A cara da depressão profunda e do suicídio é não ter ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia