Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 02 Março |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Da Maré para o Vaticano: jovens brasileiros vão tocar para o Papa

web3-music-musicians-brasil-social-rio-christ-pope-000_p44jh-yasuyoshi-chiba-afp-ai

Membros da Orquestra Maré do Amanhã ensaiam em frente à estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, antes de comparecerem à Missa de Envio ao Vaticano. AFP PHOTO / Yasuyoshi CHIBA

Jesús Colina - Aleteia Brasil - publicado em 02/06/17

Jovens fazem parte da Orquestra Maré do Amanhã, que surgiu em uma das favelas mais violentas do Brasil

Nas favelas do Rio de Janeiro, a música está sendo uma importante aliada no desafio de tirar os jovens das drogas e da criminalidade.
Pelo menos é o que mostram os integrantes da Orquestra Maré do Amanhã (maredoamanha.com.br). Os músicos atendidos pelo projeto social têm entre 14 e 19 anos e, neste sábado, 3 de junho, vão tocar para o Papa Francisco.

O projeto nasceu no Complexo da Maré, um conjunto de favelas da zona norte do Rio, que se estende entre a Avenida Brasil e a Linha Vermelha, dois dos principais acessos à cidade. A região abriga cerca de 140 mil habitantes e é caracterizada pelos altos índices de criminalidade, motivados principalmente pelo tráfico de drogas. De acordo com a ONG Redes da Maré, entre janeiro e abril deste ano já foram registradas 18 mortes violentas no Complexo.

Os jovens da orquestra tocarão para o Papa e para outras quatrocentas crianças procedentes das localidades italianas destruídas pelos terremotos que recentemente atingiram o centro da Itália (Amatrice. Nursia, Accumoli, etc).

Violência  

A orquestra também foi marcada pela violência. Em 1999, o famoso maestro brasileiro, Armando Prazeres, foi assassinado precisamente por moradores de favelas, que queriam cobrar um resgate por sua vida em um sequestro infeliz.

O filho dele, Carlos Eduardo, que também é maestro, não quis que o sangue do pai fosse derramado em vão, e busca, através da música, oferecer educação e um futuro melhor para os moradores das favelas.

Ao convidar os jovens da orquestra para tocar no Vaticano, o Conselho Pontifício da Cultura, presidido pelo cardeal Gianfranco Ravasi, quer destacar como é possível transformar vidas com a música.

Missa de envio

No começo da semana, antes de partirem para o Vaticano, os 26 jovens da orquestra participaram da Missa de Envio no Santuário Cristo Redentor, no Rio. A Missa foi presidida pelo Pe. Omar Raposo, que dirigiu uma mensagem de esperança a eles: “Vocês são chamados a ser exemplo e a dar o testemunho de Deus, com o dom da arte, que é capaz de nos levar a lugares inimagináveis”, disse o padre, referindo-se ao Vaticano.

Ensaio

No vídeo abaixo, você pode conferir um dos ensaios da turma, que faz, inclusive, uma leitura do funk carioca da cantora Anitta.

Tags:
DrogasJovensMundoMúsicaPapa
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia