Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 07 Março |
Perpétua e Felicidade
home iconEstilo de vida
line break icon

O que é e para que serve a inteligência colaborativa?

Shutterstock-Rawpixel.com

Miriam Diez Bosch - publicado em 19/06/17

Quem explica é Leticia Soberón, uma especialista no assunto

Sozinhos não chegamos a lugar nenhum. Um grupo de pessoas das áreas de tecnologia, humanidades e empresarial começaram a trabalhar com a chamada “inteligência coletiva”. Dela deriva a “inteligência colaborativa”. A especialista no assunto, Leticia Soberón, que durante anos esteve no Vaticano como oficial da área de comunicação, acredita que temos que lutar contra a “estupidez coletiva”. Agora, ela aplica a técnica a partir do Innovative Center for Collaborative Intelligence e do Collaboratorium (plataformas para ajudar líderes na tomada de decisão diante dos desafios).

Veja o que ela diz sobre a inteligência colaborativa nesta entrevista:

 O que é inteligência colaborativa?

É um novo modo de realizar o trabalho em equipe potencializado pela tecnologia digital, a conectividade proporcionada pela internet e as vantagens dos smartphones, que se tornaram imprescindíveis na vida cotidiana.

Em 1994, Pierre Lévy sonhou com a “inteligência coletiva”, uma espécie de “supra córtex cerebral” da humanidade, formada por milhões de indivíduos conectados e pensando juntos sobre temas importantes. O saber está distribuído. Como ele mesmo destaca, “ninguém sabe tudo; todos sabem algo; é necessário mobilizar as competências de todos”. Mas nem todo intercâmbio é inteligente, nem a inteligência das equipes dependem somente da inteligência individual de seus membros. Suas dinâmicas precisam ser inteligentes. É preciso ouvir mutuamente, valorizar o que os outros dizem, concordar ou discordar, expressar-se, criar novos focos, avançar juntos.

A inteligência colaborativa é uma forma de “inteligência coletiva”, que ocorre em equipes de trabalho de qualquer área, orientadas à ação e à tomada de decisão. Trata-se, justamente, de co-laborar. Por isso, a discussão deve ter foco, um tema concreto e duração específica; não é indefinida nem genérica. Tampouco é aplicável a um grande número de pessoas: é utilizada necessariamente por “clusters” ou grupos que possam pensar juntos.

Nós definimos a inteligência colaborativa como uma deliberação ordenada, facilitada por tecnologias sociais, que permite a um conjunto de pessoas compartilhar, criar, depurar conhecimento e tomar decisões com maiores possibilidades de superar os desafios que deixam os ambientes cada vez mais complexos e vulneráveis.

São necessárias humildade e honradez intelectuais suficientes para aceitar quando os outros contribuem com algo que eu não saiba, a fim de criar algo que tem alguma coisa de mim, mas não é meu.

 Por que precisamos deste tipo de processo nas organizações?

A maioria das organizações nasceu antes da internet e trabalha com departamentos ilhados. Elas possuem estruturas rígidas e formais e, inclusive, seus suportes tecnológicos estão desenhados para perpetuar estas ilhas e para uma comunicação pulverizada; em outras palavras, para uma sociedade que já não existe. Se não quisermos ficar obsoletos em pouco tempo, temos de gerenciar novas formas de trabalhar, muito mais colaborativas e em rede.

Mas a colaboração nem sempre é espontânea ou inteligente; tem de ser impulsionada para uma equipe por uma liderança que compreenda a necessidade de ouvir a todos, cada um de seu ponto de vista, e propiciar o trabalho transversal. É necessário favorecer as discussões adequadas para coletar e filtrar o conhecimento de cada pessoa.

 Posso aplicar a inteligência colaborativa em casa, no trabalho…?

Com certeza! E deveria aplicar em várias áreas. Nós, com o Collaboratorium, aplicamos um modo mais ordenado de debate para ir deliberando juntos e tomando decisões mais consensuais, criando conhecimento novo a partir de cada um. O trabalho é o local onde mais deveria ser promovida a inteligência colaborativa.

Por que você se envolveu com este assunto?

Porque há anos estou estudando as redes de conhecimento: como pensamos juntos, como podemos chegar a um acordo, o que nos faz mais inteligentes juntos e onde nasce a estupidez coletiva. Mas estudo isso com o foco nas pessoas, não na tecnologia. Olhando a pessoa e os grupos como eixos de todo esta rede tecnológica. Entendo isso como uma forma de trabalhar pela paz e pela comunhão.

O mundo não funciona? Estamos propondo a inteligência colaborativa para o mundo?

Sim, proporia mais colaboração inteligente para o mundo. Fornecemos para o mundo técnicas e infraestrutura que funcionam, pretendendo que funcionem ainda melhor, para eliminar a estupidez que provoca tanto sofrimento inútil.

Tags:
Trabalho
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MIRACLE
Maria Paola Daud
Mateo se perdeu no mar… e apareceu nos braços do pai
2
MADONNA
Maria Paola Daud
A curiosa imagem da Virgem Maria protetora contra o coronavírus
3
Reportagem local
Santo Sudário, novo estudo: “Não é imagem de morto, mas de ...
4
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
5
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
6
Santo Sudário
Aleteia Brasil
Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte...
7
BABY BORN
Reportagem local
Bebê “renasce” após ser batizado por uma médica
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia