Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Redação da Aleteia / ACI Digital
Como surgem as intenções de oração do Papa?
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

O que significam os gestos de mão nos ícones cristãos?

Dreamstime
Compartilhar

A nossa iconografia soube empregar inteligentemente a tradição da retórica greco-romana

Você já se perguntou, olhando para os ícones religiosos, por que as figuras de Cristo e dos santos fazem certos gestos com a mão?

Cada gesto tem um significado específico, mas nem sempre conseguimos compreendê-los (para “piorar”, alguns deles vêm “legendados” em grego!)…

De fato, os gregos e romanos empregavam um “código gestual” complexo, usado pelos oradores e pelos retóricos ao discursarem na ágora, no Senado, em reuniões particulares e até nas salas de aula. Esses gestos, mesmo sendo complexos, eram de amplo conhecimento público, e, portanto, quase todos compreendiam o seu significado. É precisamente por isso que eram usados: para reforçar e tornar ainda mais clara a mensagem transmitida pelos discursos.

Mas nós, dois mil anos depois, precisamos de uma ajudinha para decifrá-los.

Os primeiros ícones cristãos usavam esse repertório gestual greco-romano ao representarem Cristo, os santos e os anjos precisamente porque o seu sentido era entendido pela maior parte das pessoas. Há ícones da Anunciação, por exemplo, nos quais o Arcanjo Gabriel aparece de mão levantada tal como os retóricos romanos, indicando estar prestes a iniciar uma frase importante: é que este era o gesto que precedia o exórdio nos discursos clássicos. O significado era tão enraizado em Roma que esse mesmo gesto pode ser visto inclusive na mais antiga das imagens da Anunciação que chegaram até nós.

A mão levantada também está presente em ícones que retratam Jesus. Afinal, mais do que ninguém, Ele tem algo importante a dizer ao mundo, certo?

No caso da figura de Cristo, além disso, o simbolismo dos gestos da mão ganha novos significados. Em princípio, toda representação icônica ortodoxa ou católica bizantina de Cristo com a mão direita levantada procura ressaltar também a Sua bênção. O gesto com este sentido se aplica ainda ao sacerdote diante dos fiéis – o que também explica a representação de santos sacerdotes com as mãos erguidas da mesma forma.

Na tradição ortodoxa, assim como na iconografia cristã primitiva, o gesto da mão abençoante é com frequência associado às letras IC XC, que abreviam o “Nome acima de todo nome”: Jesus (IHCOYC) Cristo (XPICTOC).

O gesto de bênção feito por Cristo tem ainda a finalidade de transmitir verdades doutrinais. Por exemplo, os três dedos que simbolizavam as letras I e X representavam a Santíssima Trindade, que é o mistério da Unidade de Deus em três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo. Ao se encostar o polegar e o dedo anelar, simbolizava-se a Encarnação, ou seja, a união das naturezas divina e humana na Pessoa de Cristo.

Certamente haverá mensagens que você poderá “ler” melhor da próxima vez em que apreciar um ícone – mesmo que ele esteja em grego!

Aleteia Top 10
  1. Lidos