Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Você sabe qual é o santo padroeiro dos jovens?

© Wojciech Grzedzinski/ALETEIA
Pilgrims in Cracow during World Youth Days. 26th of July 2016, Cracow, Poland Photo by Wojciech Grzedzinski
0048 602358885
wojciech.grzedzinski@gmail.com
wojciechgrzedzinski.com
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Total de Pontos

São Luiz de Gonzaga viveu uma vida de luxo, até que recebeu um chamado especial

São Luiz de Gonzaga foi filho do Marquês de Castiglione e irmão do Duque de Mântua, príncipe do Sacro Império, seria herdeiro do feudo soberano dos Castiglione. Seu pai gostaria que seu primogênito seguisse seus passos de soldado e comandante no exército imperial. Assim, com apenas 5 anos de idade já marchava atrás do exército do pai, aprendendo o uso das armas com os rudes soldados. Recebeu educação esmerada e uma sólida educação cristã por parte de mãe, frequentou os ambientes mais sofisticados da alta nobreza italiana. No entanto, aquele menino daria fama à família Gonzaga com armas totalmente diferentes.

Foi enviado a Florença, na qualidade de pajem do grão-duque da Toscana, aos dez anos de idade e imprimiu em sua própria vida uma direção bem definida, voltando-se à perpétua virgindade.

Sua viagem para a Espanha, onde permaneceu alguns anos como pajem do Infante Diogo de Espanha, filho do rei dom Filipe II, serviu-lhe para o estudo de filosofia na Universidade de Alcalá de Henares e a leitura de livros devotos.

Após ter recebido a primeira comunhão das mãos de São Carlos Borromeu, decidiu para surpresa de todos, pela vida religiosa, entrando para a Companhia de Jesus, derrubando por terra os interesses nele depositados pelo seu pai.

Luís tornou-se o modelo da pureza para todos os jovens, mesmo em meio às vaidades e tentações que atingem aos jovens de todos os tempos. Teve uma grande provação por parte do seu pai, que ao saber que desejava ser sacerdote, não só o desaconselhou, mas passou a levá-lo em festas mundanas, até que perguntou a Luís: “Ainda segues desejando ser sacerdote?” “É isto que penso noite e dia”, respondeu o jovem e perseverante santo.

Renunciou ao título e à herança paternas e aos catorze anos entrou no noviciado romano da Companhia de Jesus, sob a direção de São Roberto Belarmino. Esquecendo totalmente sua origem de nobreza, escolheu para si as incumbências mais humildes. Escreveu certa vez: “Também os príncipes são pó como os pobres: talvez, cinzas mais fétidas”. Algo também que marcava a espiritualidade de Luís era a pergunta que fazia a si mesmo diante de algo importante a fazer: “De que serve isto para a Eternidade?”

Teve de ir a Roma no ano de 1590, por motivos de estudo, mas ao deparar-se com vítimas da epidemia de tifo, compadeceu-se dos enfermos e seu envolvimento foi tão intenso que contraiu a doença e faleceu no dia 21 de junho de 1591 com apenas 23 anos, em nome da caridade e pureza e é considerado padroeiro da juventude e dos estudantes. Seu corpo repousa na Igreja de Santo Inácio, em Roma.

São Luiz também ficou conhecido como um dos padroeiros dos seminaristas.

Oração a São Luiz de Gonzaga

Ó São Luiz, adornado de angélicos costumes, eu, vosso(a) indigníssimo(a) devoto(a), vos recomendo singularmente a castidade de minha alma e de meu corpo. Rogo-vos por vossa angélica pureza que intercedei por mim ante o Cordeiro Imaculado, Jesus Cristo, e sua Santíssima Mãe, a Virgem das virgens, e que me preserveis de todo pecado grave.  Não permitais que eu me manche com alguma nódoa de impureza, mas, quando me virdes em tentação, ou perigo de pecar, afastai de meu coração todos os pensamentos e afetos imundos e, despertando em mim a lembrança da eternidade e de Jesus crucificado, imprimi profundamente em meu coração o sentimento do santo temor de Deus; abrasando-me no amor divino, fazei que, imitando-vos na terra, mereça convosco gozar a Deus no céu.

Amém.

Tags:
jovens

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições