Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Mercosul rejeita invasão do Parlamento na Venezuela

venezuela

AFP PHOTO / Juan BARRETO

Members of the National Guard arrest an opposition activist during a demonstration against the government of Venezuelan President Nicolas Maduro, in Caracas on June 26, 2017. A political and economic crisis in the oil-producing country has spawned often violent demonstrations by protesters demanding Maduro's resignation and new elections. The unrest has left 75 people dead since April 1. / AFP PHOTO / Juan BARRETO

Agências de Notícias - publicado em 06/07/17

Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, fundadores do Mercado Comum do Sul (Mercosul), manifestaram nesta quarta-feira sua “mais categórica rejeição” à invasão do Parlamento da Venezuela e à agressão de deputados por grupos que apoiam o presidente Nicolás Maduro.

“Tais fatos, precedidos de uma intervenção de altas autoridades do Poder Executivo, sem prévio acordo das autoridades legislativas, constituem um avassalamento do Executivo sobre outro Poder do Estado, algo inadmissível na institucionalidade democrática”, destaca o comunicado dos países fundadores do Mercosul, emitido em Buenos Aires.

O que desencadeou o documento foi a invasão do Parlamento, controlado pela oposição, por um grupo de partidários de Maduro. Vários dos legisladores atacados ficaram feridos – alguns na cabeça – e precisaram ser levados a um centro médico.

“Solicitamos ao governo da Venezuela que ponha fim imediatamente a todo discurso e ações que incentive uma maior polarização, com o consequente crescimento da violência, e a garantir o respeito aos direitos humanos, a separação dos poderes e a vigência do Estado de Direito”, afirma o comunicado.

Após mais de nove horas de cerco, a sede do Parlamento foi evacuada, observou um repórter da AFP em Caracas.

Os países do Mercosul, bloco do qual a Venezuela está suspensa desde dezembro, se disseram novamente dispostos a “apoiar e acompanhar o povo-irmão venezuelano na saída da grave crise política, social e humanitária que atravessa seu país e no caminho para a restauração plena das instituições democráticas e da paz social”.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia