Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Você sabe o que quer? Estas perguntas ajudarão a testar

GaudiLab/Shutterstock
Compartilhar

Pense nas crianças: eles não aceitam o mundo em silêncio

A sadia curiosidade nos leva a descobrir o mundo e expandir os horizontes. Pense nas crianças: eles não aceitam o mundo em silêncio. Fazem perguntas, tentam entender, querem saber. Quando passo tempo com as crianças, sempre me impressiono com a sua curiosidade e necessidade de indagar. Elas não param para pensar se vão passar vergonha ao fazerem a pergunta: pelo contrário, é difícil negar a naturalidade com que indagam de tudo!

Mas muita gente perde essa capacidade. Com a idade, muitas pessoas se deixam surpreender cada vez menos. Questionam menos coisas. Agem como se tudo estivesse claro. Como se “tivessem lido o livro da verdade até o final”.

E você?

Quantas vezes você se surpreendeu ou se encantou com algo ultimamente? Com que frequência desperta em você a curiosidade da criança?

A capacidade de ser surpreendido, de questionar a situação e de desejar compreender são elementos essenciais para renovar o brilho da vida. É preciso acordar a sua curiosidade infantil e fazer perguntas, querer compreender melhor até o que parece evidente.

Isso inclui refletir sobre o que realmente importa na vida.

Um exemplo: você vai começar um novo trabalho ou projeto aparentemente importante. Pergunte-se:

– Por que isso me importa?
– O que eu seria capaz de sacrificar por isso?
– É realmente importante para mim?

Pergunte-se o mesmo se estiver procurando o amor da sua vida. Certa vez, uma amiga solteira me enumerou toda a sua lista de expectativas a respeito do futuro esposo: bonito, atlético, masculino, carinhoso, gosta de sushi, esquia, não tem dívidas, tem bom salário etc. Pergunte-se: todas estas características são mesmo muito importantes para mim? Por quê? Talvez você descubra que pode prescindir de algumas ou várias delas e enxergue outras que são bem mais relevantes.

O fato é que não importa em que você está pensando: se é em trocar de emprego, achar um marido ou esposa, mudar de cidade, viajar de férias. Vale a pena questionar-se para escolher melhor. Não tenha medo de descobrir o que você realmente deseja.

Vou compartilhar os passos adicionais que eu dou para aprofundar essas perguntas e ver se realmente quero algo:

1. Verbalizar claramente o que eu quero: mudar de trabalho, ser uma pessoa mais assertiva etc.

2. Por que é importante para mim? Enumerar todas as razões.

3. Observar cada razão da lista e perguntar o quanto é importante cada uma, numa escala de 1 a 10.

4. Avaliar e escrever: o que vai acontecer se eu não fizer o que verbalizei no passo 1?

5. Pensar no sacrifício que os desejos do passo 1 vão me exigir. Estou preparado? As razões enumeradas e avaliadas nos passos 2 e 3 me dão motivação suficiente para abraçar os sacrifícios necessários?

Com estes passos e perguntas, você vai enxergar com mais clareza o que quer e o que terá que fazer para conseguir, além de confirmar as razões para as mudanças e, com isso, aumentar a sua motivação.

As mesmas perguntas também são válidas quando alguém lhe pedir um conselho: em vez de imaginar o que você faria, faça essas perguntas à pessoa!

Tags:
Valores