Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 27 Novembro |
São Máximo de Lérins
home iconPara Ela
line break icon

Como dizer a alguém – cuidadosamente – que seu comportamento incomoda

Shutterstock/Image Point Fr

Zuzanna Górska-Kanabus - publicado em 15/07/17

Quatro passos para falar das questões desconfortáveis ​​de forma não conflituosa

Ellen sentou-se em um banco e esperou que sua amiga Veronica chegasse. Já faz 25 minutos, e ela sentiu sua raiva e frustração aumentar a cada minuto. Esta não foi a primeira vez que Veronica chegou tarde. E sempre foi assim: ela chegava 20 a 30 minutos atrasada, mas, ao invés de se desculpar, ela simplesmente sorria e dizia que estava tão ocupada.

Ellen sentiu ressentimento com a atitude de Veronica. Aqueles 20 minutos importavam para ela, mas não sabia como contar. De alguma forma, ela nunca poderia dizer a Veronica que seu comportamento a estava incomodando. Geralmente, ela ficava quieta e ocultava sua raiva.

Tenho certeza de que a história de Ellen parece familiar. Às vezes nossos amados, colegas de trabalho ou chefes se comportam de uma maneira que nos faz sentir magoados ou chateados, mas não sabemos como lhes dizer isso. Tais conversas são difíceis porque podem desencadear fortes emoções e levar uma ou ambas as pessoas a dizer coisas que se arrependerão mais tarde.

Existe uma maneira de lidar com essas conversas difíceis sem cair nos tipos de generalizações ou acusações que prejudicam as relações. Na próxima vez que você tiver que lidar com problemas desconfortáveis ​​com as pessoas, tente seguir este padrão de quatro passos: 1) fatos, 2) sentimentos, 3) expectativas e 4) consequências.

Concentre-se nos fatos

Quando você quer dizer a alguém que seu comportamento é prejudicial, concentre-se nos fatos. Seja específico e evite generalizações (ou seja, declarações sempre ou nunca).

Ao invés de dizer “Você está sempre atrasado”, ou “Você nunca chega na hora”, opte por dizer “No último mês, você chegou atrasado cinco vezes”, ou “Você chegou atrasado a quatro de cinco reuniões nossas”.

Concentrar-se nos fatos ajuda você a manter as especificidades e evitar julgamentos injustos.

Diga-lhes como seu comportamento faz você se sentir

Você precisa dizer à pessoa como você se sente sobre suas ações. Você pode dizer que esse comportamento faz você se sentir magoado ou que se sente ofendido ou com raiva. É importante que você formule a frase usando “eu”, não “você”.

Por exemplo, “Eu fico chateado quando chega tarde às nossas reuniões”, ou “Me incomoda quando você não respeita meu tempo”.

Expresse suas expectativas

O próximo passo é dizer às pessoas suas expectativas – especificamente quais mudanças você espera. Em caso de atraso constante, você poderia dizer, “Venha no horário na próxima vez”, ou “Por favor, avise-me se você se atrasar”. Seja realista e peça coisas que a outra pessoa possa fazer.

Declarações como “Eu não quero que você se atrase novamente”, ou “Da próxima vez você vai ficar esperando por mim” não é a melhor forma. Ninguém pode prometer-lhe que nunca se atrasará; isso não é realista. E a segunda frase parece que você está tentando se vingar.

Explique as consequências

Finalmente, comunique as consequências, que é o que acontecerá se a outra pessoa não mudar seu comportamento. A parte das consequências não é uma ameaça. É apenas informação. Por exemplo: se a outra pessoa se atrasar, você esperará apenas por cinco minutos e então você irá embora.

Resumindo

Então, ao invés de suportar silenciosamente o atraso crônico de Veronica e depois explodir, Ellen poderia dizer algo assim:

(Fatos) “Veronica, esta é a quinta vez que nos vemos este ano, e é a quarta vez que você está com mais de 25 minutos de atraso”.

(Sentimentos) “Me irrita quando você chega atrasada e age como se não fosse grande coisa. Sinto-me desrespeitada”.

(Expectativas) “Por favor, planeje seu dia para que você possa chegar no horário na próxima reunião”.

(Consequências) “Na próxima vez vou esperar por cinco minutos e depois vou embora”.

Tags:
AmizadeEducaçãoFamíliaRelacionamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
MARADONA
Pablo Cesio
Pelé sobre Maradona: "Espero que um dia jogue...
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
John Burger
A melhor maneira de contar a seus filhos a ve...
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
POINSETTIAS,CHRISTMAS,ALTAR
A. J. Clishem
O segredo do grau de inclinação da cabeça de ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia