Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Redação da Aleteia / ACI Digital
Como surgem as intenções de oração do Papa?
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

Namoro: o que é, o que não é

Fashionable cool couple © Tatyana__K / Shutterstock
<a href="http://www.shutterstock.com/pic.mhtml?id=263549348&src=id" target="_blank" />Fashionable cool couple</a> © Tatyana__K / Shutterstock
Compartilhar

Erro número 1: achar que o outro tem que me fazer feliz

Em princípio, o namoro é considerado o tempo que transcorre entre o conhecimento e a escolha para o casamento. Não tem como finalidade o exercício da genitalidade nem a busca do próprio prazer em nome do afeto.
 
Não busca preencher solidões mal vividas nem vazios que ninguém pode suprir. Não foi feito para a demonstração das habilidades de cortejo nem para encontrar-se com o outro quando não se tem certeza do que se é.
 
Sua finalidade é o conhecimento mútuo, o amadurecimento do afeto até transformá-lo em um amor de decisão, capaz de chegar à escolha que leve à renúncia de qualquer outro homem ou mulher.
 
O sexo não deve acontecer durante este processo nem ser a base da relação, e sim o ato culminante do compromisso, quando selado no casamento. Começar o conhecimento pessoal pela nudez e pela entrega genital é restringir o caminho da transparência. É mais difícil ser você mesmo com roupa quando estar nu foi o hábito que o cobriu.
 
O objetivo do namoro é ver o outro na claridade da razão, e não na parte nublada do coração; sem minimizar seus defeitos nem maximizar suas qualidades. Descobrir no processo aquilo que nos assemelha, o que faz que sejamos capazes de divertir-nos juntos, de tomar decisões, de saber aonde vamos; aquilo que nos complementa, pois mostra quão enriquecedor pode ser o namoro e um para o outro; aquilo que nos diferencia e que pode nos fazer crescer.
 
Um namoro bem conduzido leva à certeza sobre a pessoa que escolhemos para compartilhar a vida. Não se trata da pessoa "ideal", que não existe, mas da pessoa "adequada", aquela que é forte nas fraquezas e habilidosa para lidar com os conflitos.
 
Este tempo de relacionamento pode ajudar a observar como a outra pessoa reage durante as situações difíceis da vida: como enfrenta a abundância e a escassez, a saúde e a doença, o sucesso e o fracasso, a morte de pessoas queridas.
 
Nada disso pode ser alheio ao casal de namorados, pois tudo fará parte da equipagem da sua vida futura. Conhecer como cada um enfrenta conflitos é essencial, pois eles existirão ao longo de toda a vida.
 
Um bom namoro permite construir as primeiras bases do edifício do amor. Não é um tempo para "fazer o outro feliz" (responsabilidade complexa demais), mas para compartilharem a própria felicidade.
 
O namoro ajuda a conhecer o nível de generosidade do futuro cônjuge, sua resiliência, seu amor que constrói, não que explora, como se a outra pessoa fosse uma mina da qual tirar proveito.
 
O namoro deve levar à experiência de pensar com olhar de futuro, mas sem a fantasia dos contos de fadas, que buscam príncipes e princesas, pois estes não existem; o que existem são plebeus, gente humana, muito humana, que nunca atenderão as expectativas errôneas de ninguém; pessoas que não têm a obrigação de ser responsáveis pela felicidade de ninguém, mas somente companheiras de caminho.
 
No namoro, você escolhe a pessoa com quem vai atar amorosamente um jugo (daí o termo "cônjuges") para, juntos, poderem abrir o sulco e plantar a semente da felicidade.

Aleteia Top 10
  1. Lidos