Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Os 10 poderes da inteligência espiritual

Compartilhar

Segundo o filósofo Francesc Torralba Roselló

Você já se perguntou como anda a sua inteligência espiritual? Neste bate-papo com a Aleteia, o filósofo Francesc Torralba fala sobre o que é a inteligência espiritual. O especialista, consultor do Pontifício Conselho para a Cultura, resumiu o tema no livro “Inteligencia Espiritual”.

  1. Vale a pena viver?

Seja qual for a definição concreta de vida, “viver faz sentido”? O que eu posso esperar da vida? Estas perguntas deixam claro o caráter misterioso das criaturas.
O ser humano sempre está em busca de algo. Em virtude de sua inteligência espiritual, ele é capaz de se perguntar sobre o sentido da existência, tem o poder de se perguntar por que vai realmente preencher de valores sua passagem neste mundo.

Em graus diferentes, podemos distinguir nos mamíferos superiores formas de inteligência linguística, emocional e interpessoal. Mas a inteligência espiritual é uma modalidade específica do ser humano.

  1. Perguntas e respostas

Que tipo de interrogações são produtos da inteligência espiritual? Para que estou no mundo? Que sentido tem minha existência? O que posso esperar depois da morte? Que sentido tem o mundo? Por que sofrer? Para que lutar? O que merece ser vivido?

Não temos respostas evidentes a tais perguntas. Mas a busca dessas respostas constitui um estímulo para o desenvolvimento filosófico, científico e tecnológico da humanidade.

A inteligência espiritual não se satisfaz com o “como” nem com o “porque”. Ela precisa conhecer o para que.

  1. A capacidade de distanciamento

A inteligência espiritual oferece o poder de tomarmos distância da realidade circundante. Mas também de nos distanciarmos de nós mesmos.

Não se deve entender esse distanciar no sentido físico. A inteligência espiritual permite que nós nos separemos do mundo, do nosso próprio corpo. Mas tal operação é unicamente mental. Consiste, pois, em se separar sem deixar de ser, sem abandonar o mundo.

A distância é, em paradoxo, o único modo de compreender realmente algo. Para poder valorizar a textura e a qualidade de um vínculo, de uma relação e de uma amizade, é essencial tomar distância e, depois, contidas as paixões e emoções, julgar com imparcialidade.

  1. A autotranscendência

Transcender consiste em ir além, em não se contentar com o que é, com o que se tem, com o que se sabe. Transcendência expressa carência, mas também esperança.

Além do significado religioso da palavra transcendência, a capacidade de transcender não é algo que acontece somente com pessoas religiosas, mas com qualquer ser humano, pois a as pessoas querem superar seus limites.

  1. A admiração

Uma coisa é existir; outra, muito diferente, é dar-se conta de que alguém ou alguma coisa existe. A planta existe, ocupa um lugar no espaço e dispõe de tempo de vida. Mas ela não sabe que existe. Não experimenta a surpresa de existir nem a vertigem da passagem do tempo.

A admiração requer a distância física. Para se admirar uma pintura, uma paisagem, o céu estrelado ou um corpo belo, deve-se tomar distância física, afastar-se.

Quando alguém tem a certeza de que existe, podendo não ter existido, experimenta uma surpresa. E esta surpresa o leva a amar a vida e a gozar intensamente dela; a transformar o fato de estar no mundo em um projeto.

  1. O autoconhecimento

A inteligência espiritual nos proporciona o conhecimento de nós mesmos.

Os grandes mestres da história da humanidade, de Sócrates a Confúcio, mostraram que o grande objetivo da educação é o conhecimento de si próprio.

Quando uma pessoa cultiva a inteligência espiritual, obtém a capacidade de distinguir o personagem do ser, a representação da essência. Então, pode-se chegar a desprender-se do que alguns autores chamam de “ego” e abrir-se à dimensão transcendente do chamado “self”.

  1. La capacidade de dar valor

A tarefa de valorizar algo ou alguém é exclusivamente humana e transforma o ser humano em um sujeito ético. A experiência ética encontra seu fundamento na inteligência espiritual. Somos seres capazes de ter experiência ética, porque temos capacidade nos distanciar e julgar.

Só o ser humano é capaz de construir sua própria pirâmide de valores e viver conforme ela.

  1. O gozo estético

Um ser espiritualmente sensível deleita-se com a beleza natural, com as manifestações artísticas e com a simplicidade das pequenas coisas.

A experiência estética é uma vivência específica do ser humano, uma peculiaridade de seu ser no mundo, que não se detecta em nenhum outro ser.

O animal procura a presa e, quando ela está a seu alcance, ataca. O ser humano é capaz de se distanciar dos impulsos primários, de contê-los e canalizá-los oportunamente. Ao ser humano basta viver, desejando o bem, a bondade, a unidade, a beleza e, antes de tudo, viver uma vida com sentido.

  1. O sentido do mistério

O mistério circunda o ser humano, é insondável, vai além do desconhecido ou do que se mal conhece. Em um sentido estrito, significa o que está oculto, o que não se percebe com os sentidos nem se esclarece com o razão.

O ser humano, ao longo da história, sente-se constantemente convidado a desvendar o mistério do mundo de das pessoas.

A inteligência espiritual nos dá a capacidade de fazer perguntas. Uma pessoa profunda aprende a conviver com as perguntas finais.

  1. A busca de uma sabedoria

Os conhecimentos científicos não satisfazem o ser humano. Toda pessoa deseja uma orientação que lhe permita viver feliz.

A inteligência espiritual proporciona o trabalho de síntese, o olhar em conjunto. O fato de não existirem respostas conclusivas no plano científico não significa que não existam respostas inteligentes com plenitude de sentido.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.