Aleteia
Sábado 24 Outubro |
São Maglório
Estilo de vida

Filhos: qual é a diferença entre mimar e dar afeto?

Getty Images/Blend Images

Canção Nova - publicado em 28/07/17

Os pais não querem mimar o filho, mas é verdade que muitos, querendo acertar, acabam errando

O medo de mimar demais um filho deixa muitos pais sem saber o que fazer e passíveis de cometer certos erros. Recordo-me de uma situação vivenciada em nossa casa, quando nosso primeiro filho ainda era bebê. Certo dia, pedi a meu esposo que largasse um pouco o menino, pois já estava com ele a certo tempo no colo. Na minha inexperiência e tendência de simplesmente repetir o que havia ouvido na minha educação, eu temia que nosso filho ficasse mimado. Então, meu esposo, com a sabedoria e segurança de filho criado com todo apego de uma família mineira bem “grudenta”, disse-me: “Fica tranquila! Colo não deixa criança mimada!”. Não entendi muito na hora, mas acolhi e, então, fui aprendendo com a vida, com leituras e estudos, que meu esposo tinha toda razão. Afeto, colo e carinho não mimam criança.

O que é mimar

Afinal, o que é, então, mimar? No dicionário on-line encontrei: “Tratar com carinho excessivo, satisfazendo todos os caprichos e vontades”. Aí está uma palavrinha chave: “excessivo”.

Nada pode ser em excesso na nossa vida! A virtude está no equilíbrio, portanto, os pais devem sempre buscar essa têmpera na hora de educar. Existem escolhas da criança que, a partir de uma idade, é importante que saibamos respeitar. É saudável que o filho, a partir de uma idade, como os três anos por exemplo, já possa escolher a camiseta que vai vestir; e você não estará mimando seu filho se deixar ele vestir a azul, mesmo que você queira que ele use a verde para combinar com a bermuda; ao contrário, você o está ajudando a ser uma pessoa capaz de fazer escolhas futuramente.

Por outro lado, existem situações onde a vontade dos pais precisa imperar, não por uma questão de autoritarismo, mas por autoridade de quem sabe o qual é o melhor a ser feito naquele momento. Por exemplo: seu filho insiste em comer um segundo chocolate após vocês terem combinado que seria apenas um. Nessa hora, é preciso da firmeza dos pais em manter o combinado, ou seu filho saberá que bastará insistir um pouco e sempre conseguirá o que quer. Isso é mimar!




Leia também:
6 dicas importantes para criar filhos bondosos

A criança quer comer a sobremesa antes do almoço, e começa a fazer birra; então, para não desapontar seu filhinho nem piorar a manha e a choradeira, você deixa ele comer o tal doce e acabar com o apetite do almoço. Isso é mimar! A criança vê um brinquedo numa vitrine e começa a pedir, chorar e espernear, mas vocês, naquele momento, não têm condições financeiras nenhuma de comprar o brinquedo, mas, para agradar, vai lá e faz uma dívida, realiza a vontade de seu filho. Isso é mimar!

Mimar estraga o seu humano

O mimo é a bajulação, a tentativa, muitas vezes, frustrada dos pais, de darem ao filho até o que não podem e fazerem todas as suas vontades. Isso estraga um ser humano. Por outro lado, dizer ‘não’, criar regras e explicar o porquê de certas proibições vai gerando entendimento (mesmo com algumas birras) e gerando disciplina. Isso é educar com responsabilidade e amor, porque não penso somente no agora, mas nos comportamentos futuros do meu filho e no ser humano que espero que ele se torne, não para me agradar, mas para ser um bom homem, uma boa mulher, para ser feliz e contribuir com o bem-estar da sociedade.




Leia também:
A importância de dizer “não” aos seus filhos

Ninguém cresce e amadurece quando todo os seus caprichos e vontades são satisfeitos. Ninguém pode ser educado assim. Todos precisam passar por frustrações, pela experiência do ‘não’ para adquirir equilíbrio, limite e maturidade.

Para mim, como mãe, existem dois pontos que não podem faltar na educação dos filhos: afeto e disciplina. Nos primeiros meses de vida, diria os dois primeiros anos, muito afeto, muito colo, beijo e abraço, pois isso estabelece vínculo entre os filhos e os pais, e essa conexão é importantíssima no desenvolvimento da criança. Filho precisa conhecer o cheiro da mãe e vice-versa. Nossos filhos reproduzem nossas atitude, portanto, se o que damos a eles são atitudes de amor e carinho, é isso que reproduzirão com a família, os parentes, os amiguinhos e colegas da escola.

À medida que os pequenos vão crescendo, precisam aprender a ter disciplina, sem deixar de lado o afeto. Filho precisa e tem necessidade de saber até onde pode ir, qual é o seu limite, e quem estabelece e ensina isso são os pais. Afeto e disciplina trazem segurança emocional e afetiva. O filho que sabe que pode contar com o pai, que pode correr para o colo da mãe, que os tem por perto para quando precisar, cresce seguro de si e de seus sentimentos.




Leia também:
Os 10 erros mais comuns na educação dos filhos

Já aquele que nem sempre tem o afeto dos pais, mas foi “comprado” afetivamente por pais que sempre cederam às suas vontades, crescerá com uma lacuna enorme e com a constante necessidade de ser amado e aprovado, de ter sua vontade e opinião aceita a qualquer custo.

Mimar é amar do jeito errado

Mimar é também um jeito de amar, mas de um jeito errado. Nenhum pai mima o filho por maldade, mas é verdade que muitos, ao querer acertar, acabam errando. Mimar é aquele cuidado sem medida, o agrado excessivo, que priva o filho da possibilidade de lidar com a decepção e gera nele o egocentrismo. Já o amor inclui frustração e limites, e é nesse amor que a criança aprende que ela não é a única no mundo, que existem outras pessoas em casa, na família e na sociedade, que também são importantes, ensina a criança a retribuir amor, a ser grata e saber até onde pode ir para não se machucar nem machucar os outros ao seu redor.

__

Por Andréa Camargos (membro da Comunidade Canção Nova, esposa e mãe. Formada em Artes Cênicas, trabalha como apresentadora e produtora de roteiros especiais da TV Canção Nova. Autora do livro ‘Rasgando o Verbo’ pela Editora Canção Nova, a missionária é também youtuber no canal ‘Déia e Tiba’) via Canção Nova 

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
FamíliaFilhosMaternidadePaternidade
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Papa Pedro João Paulo II Bento XVI Francisco
Reportagem local
Pedro, João Paulo, Bento e Francisco: 4 Papas...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia