Aleteia

Os fenômenos curiosos que acontecem na Catedral de Maiorca

Compartilhar
Comentar

Eles sempre ocorrem em fevereiro, novembro e antes do Natal

Todos os anos, a Catedral de Maiorca é palco de dois fenômenos luminosos, que têm como palco a roseta maior e a roseta da fachada principal do templo.

O primeiro fenômeno é conhecido como o “Espetáculo do Oito” e acontece nos dias 2 de fevereiro (dia da Candelária) e em 11 de novembro (Dia de São Martinho), quando o reflexo da roseta maior fica abaixo da roseta da fachada, formando o número oito.

O outro fenômeno luminoso acontece entre os dias 20 e 23 de dezembro, coincidindo com o solstício de inverno europeu. O fenômeno deve ser visto da parte externa, já que a luz da roseta maior se sobrepõe à roseta da fachada, criando um magnífico jogo de cores.

A Catedral de Maiorca é um prédio de grandes dimensões, com mais de 43 metros de altura na nave central e 121 metros de largura.

Cristina Ortiz, coordenadora das visitas didáticas ao templo, conta que “estas medidas transformam a igreja em uma catedral gótica que, com menos pedra, consegue mais espaço útil para que se tenha uma visão espaçosa e ampla do seu interior, com colunas altas e finas.” Essa sensação de amplitude também é causada pela iluminação. A catedral tem mais de 60 vitrais e cinco rosetas abertas, pelos quais entra a luz do sol do Mediterrâneo.

 

O olho gótico

Das cinco rosetas, a roseta maior é uma das mais famosas, por ser a maior da arte gótica, sendo, por isso, conhecida pelo nome de “olho gótico”. O elemento arquitetônico tem mais de 12 metros de diâmetro e 100 metros quadrados de superfície. Foi construído em 1370, embora os vidros tenham sido adicionados depois disso. Destaca-se especialmente pela estrela de Davi formada por 24 triângulos e por sua peculiar localização – sobre o presbitério – e não aos pés, como era costume.

Consquistar a ilha dos muçulmanos

Conta a lenda que o rei Jaime I, o Conquistador, quando estava a caminho de Maiorca, em 1229, para conquista a ilha ocupada até então pelos muçulmanos, esteve a ponto de naufragar com sua expedição, devido a um grande temporal. Nesse momento, o rei prometeu à Virgem Maria a construção de um templo dedicado a ela, caso conseguisse terminar sua viagem. A tormenta se acalmou e o monarca e suas tropas puderam chegar à ilha.

Jaime I, então, decidiu cumprir a promessa, e a Catedral de Maiorca é o resultado.

http://catedraldemallorca.org/es/

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia