Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Religião

Como a diplomacia da Santa Sé trabalha pela paz

onu

© UN foto/Amanda Voisard

Vatican News - publicado em 04/08/17

“O esforço é por uma paz permanente”, assegura o Cardeal Pietro Parolin em entrevista ao jornal “Avvenire”, ao falar sobre o empenho da diplomacia da Santa Sé em mediar conflitos existentes em diversas partes do globo.

Entre os conflitos atuais que mais preocupam – sublinhou o Cardeal –  “certamente está o do Oriente Médio, que permanece muito vivo na sensibilidade da Santa Sé. Hoje a situação está novamente tensa e provoca grande preocupação.

Também para os conflitos na área do Oriente Médio o ponto crucial é o mesmo: é necessário realmente empenhar-se para se chegar a uma paz permanente”.

Jerusalém, única e sagrada para judeus, cristãos, muçulmanos

“A Santa Sé – prossegue o Secretário de Estado – considera Jerusalém única e sagrada para os judeus, os cristãos, os muçulmanos e já há tempos deu os seus critérios e indicou as condições. Isto é, que Jerusalém seja reconhecida como lugar de cidadania para todos os crentes, seja cidade aberta no sentido de reconhecer a liberdade religiosa e os direitos de todos e que estes sejam respeitados”.

Falta vontade política

As premissas para seguir nesta direção “são aquelas indicadas. Se aumenta a tensão, torna-se necessário evitar a escalada do conflito – explica Parolin. O problema de fundo é sempre um: é preciso vontade política. No campo internacional podemos falar de tantas soluções possíveis e praticáveis, elas existem. Existe a possibilidade de responder com propostas concretas que podem realmente ser a solução, mas infelizmente parece sempre faltar a vontade de cada um em deixar de lado algo seu, na fórmula do compromisso”.

A proposta da Santa Sé de um estatuto internacionalmente garantido para salvaguardar o caráter histórico e religioso de Jerusalém e o livre acesso para todos aos Lugares Santos, é uma “perspectiva ainda válida”, reiterou.

Não me parece que em relação a isto tenham sido indicadas alternativas capazes de resolver os problemas e as tensões sobre Jerusalém. As manifestações de violência que vimos demonstram que o problema deve ser resolvido em nível internacional.

Venezuela

“Não. Não há nenhum fracasso. A diplomacia da Santa Sé é uma diplomacia de paz. Não tem interesses de poder nem político, nem econômico, nem ideológico”, declarou por sua vez o Cardeal Pietro Parolin, ao ser questionado sobre os resultados da mediação do Vaticano na crise venezuelana.

“O Papa – explica Parolin – recordou que quando nos encontramos diante de uma situação de crise, é necessário sempre considerar como atua a Santa Sé: é por uma diplomacia pró-ativa e não somente reativa, portanto nós buscamos levar sempre a nossa contribuição. Se às vezes não se atinge o resultado, o importante é o esforço” realizado.

“Neste sentido, eu não falaria de fracasso – sublinhou. No caso da Venezuela podem existir opiniões diferentes, mas o importante é tentar dar respostas praticáveis com base na situação, sobretudo levando em consideração as condições reais da população e do bem comum que deve vir antes de tudo”.

Ouvir a voz das populações que clamam por paz

A propósito das situações como a da Venezuela, mas também de outras áreas que passam por gravíssima crise, como a Síria, o apelo a ser dirigido aos governantes é, “eu diria sobretudo, o de levarem em consideração o clamor das pessoas, dos pobres”, sublinha o Secretário de Estado.

“Seguidamente – observou ele  – se é surdo diante do grito que sai da base, das populações que pedem a paz em alta voz. Não em palavras. Basta ver as dilacerações que tantas populações são obrigadas a viver: este é o grito pela paz”.

“Os responsáveis  – acrescenta o purpurado – devem abrir-se a este grito” e não brincar com a vida deles. “Não se trata de limitar-se aos joguinhos de política internacional, mas aqui se trata de dar respostas concretas, positivas, às exigências das pessoas. Se fossem abertos à esta voz, penso que se procuraria realmente encontrar um caminho para resolver os tantos problemas que dilaceram a realidade de hoje”.

(Rádio Vaticano)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Vaticano
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia