Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

No Twitter, Papa recorda São Domingos de Gusmão

vaticano
Shutterstock
Compartilhar

A mensagem do Papa Francisco desta terça-feira (8) no Twitter recorda São Domingos de Gusmão, homem de oração, fundador e Mestre Geral da Ordem dos Pregadores. O tweet diz o seguinte: “hoje damos glória ao Pai pelo trabalho que São Domingos realizou, a serviço do Evangelho pregado com a palavra e com a vida”.

São Domingos de Gusmão nasceu na Espanha, em 1170, e faleceu na Itália, em 1221. Ao lado de São Francisco de Assis, o mestre dos dominicanos marcou o século XIII com sua santidade vivida na mendicância e no total abandono em Deus e desapego material. Domingos iluminou o seu tempo e a Igreja com a Luz do Evangelho.

A Ordem dos Dominicanos foi aprovada oficialmente em 1216 pelo Papa Honório III, com frades pregadores disseminados pela Europa, sobretudo em Paris e em Bolonha, na Itália, principais centros universitários daquela época. Um trabalho de incessante pregação, estudo, absoluta pobreza, vida comum, debates políticos, distribuição geográfica e expedições missionárias.

Domingos de Gusmão faleceu aos 51 anos, em meio aos seus frades, no convento de Bolonha, tanto que é declarado “padroeiro defensor perpétuo da cidade”. Ele foi canonizado 13 anos depois, em 1234, pelo Papa Gregório IX, muito ligado a Domingos pela amizade.

(Rádio Vaticano)

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.